ID.GOV.PT aplicação oficial para guardar cópias de documentos de identificação no telemóvel

ID.GOV.PT aplicação oficial

Neste artigo apresentamos a ID GOV PT aplicação oficial para guardar cópias de documentos de identificação no telemóvel. Esta aplicação foi desenvolvida pelo Estado, é gratuita, está disponível nas principais loja de aplicação para smartphones e permite aos cidadãos apresentar documentos oficiais sempre que requerido pelas autoridades, mesmo quando não os tenham consigo em suporte físico.

À data em que escrevemos este artigo (agosto de 2019) era possível guardar, com valor oficial e reconhecido pelas autoridades, três documentos nesta aplicação:

  • Cartão do Cidadão
  • Carta de Condução
  • Cartão ADSE.

 

Exemplo de utilidade prática da aplicação oficial ID GOV PT

Vai a conduzir e esqueceu-se da carteira em casa mas tem consigo o smartphone? Então, se tiver carregado o cartão do cidadão e a carta de condução na aplicação, deve abrir a aplicação, escolher, à vez, qual o documento que que apresentar, esperar que seja gerado um QR Code referente ao documento e apresentar o dito code assim que seja gerado pela a aplicação, ao agente da autoridade.

Este, com o seu smartphone onde já deverá ter previamente instalada a mesma aplicação, irá então escolher a opção validar cartão, ler o QR Code passando, então, a ter acesso aos dados do documento de identificação no seu dispositivo.  Tudo isto sucede em tempo real e só durante os instantes em que lhe está a ser pedida a identificação. Naturalmente terá que existir ligação à internet disponível no local.

Outra situação em que esta aplicação é especialmente útil é a atender aos pedidos de identificação pelas mais variadas entidades e com os mais variados pretextos que ainda existem previstos na lei. A aplicação permite que a identificação seja feita usando esta aplicação e o documento por ela gerado que terá a mesma força de uma cópia autenticada por notário ou uma certidão, isto sem ser necessária fotocópia ou envio físico de documentos. A lei determina que todas as entidades privadas e públicas são obrigadas a aceitar como suficientes os acesso aos documentos que recebam através desta aplicação.

Mais uma vez o processo é o mesmoo descrito acima com o caso do polícia. A entidade terá que ter a aplicação instalada e perante a disponibilização do QR Code do cartão de identificação por parte do cidadão, este terá cumprido a sua obrigação de prestar a informação do documento.

 

Como instalar a aplicação no smartphone?

A isntalação realiza-se de forma idêntica a qualquer outra aplicação.

Consoante o sistema operativo, assim deverá ser a loja digital a que se deverá aceder para descarregar o software. Uma vez descarregado devera escolher instalar.  seguir deverá criar um PIN de acesso sendo que em alguns aparelhos estará também disponível a autenticação através da impressão digital.

Feito isso pode passar à etapa de carregar os documentos na aplicação.

 

Como carregar os documentos na aplicação?

Para poder usar a aplicação e carregar os seus documentos será indispensável já ter a Chave Móvel Digital, uma forma de autenticação junto dos serviços do Estado que já aqui referimos várias vezes (veja aqui vários artigos com referência à Chave Móvel Digital).

Esta aplicação encontra a sua habilitação legal na Lei 71/2018 – artigo 331 ponto 4 alínea a (Lei do Orçamento do Estado para 2019). Caso use a aplicação e depare com alguma autoridade que ainda desconheça esta novidade, invoque esta lei para lhe dar o enquadramento legal.

Note que só os documentos oficiais dentro da validade serão mostrados ao agente da autoridade. Se deixar expirar algum, a aplicação não lhe servirá de nada.

Pode assistir clicando aqui a um vídeo sobre o assunto preparado pela SIC.

Tagged under:

6 Comentários

  • SergioResponder

    Muito boa esta aplicação, muito útil.

  • JoséResponder

    Vou gostar de ver funcionários públicos a embirrar porque não teem, não querem ter ou não lhes foi disponibilizado equipamento para verificar a minha identificação …. Ai Jesus!!

  • Fernando MadeirasResponder

    Já tenho a aplicação desde que foi disponibilizada no google em 2018.

    Em Janeiro de 2019 fui á conservatória do registo civil para levantar o passaporte do meu filho, identifiquei-me com a aplicação id.gov.pt, mas sem sucesso porque os funcionários desconheciam a aplicação, tive de me identificar com o Cartão de Cidadão “fisico”.

    Em Abril 2019, aquando das eleições para eleger os deputados para o Parlamento Europeu, desloquei-me á mesa de voto e voltei a identificar-me com a aplicação, mas outra vez sem sucesso, dissera-me que tinha de me identificar com o Cartão de Cidadão “fisico”.
    Vi logo, que também desconheciam a aplicação, o que me surpreendeu visto que, praticamente todos os membros da mesa eram pessoas jovens entre os 18 e os 35 anos, ou seja, cidadãos que nasceram já na “ERA das novas tecnologias”.

    Assim, fiz uma reclamação para a “ama – Agência para a Modernização Administrativa”, a qual me veio dar razão no processo de identificação. Mas só agora em Julho e Agosto é que foi divulgada a aplicação, espero assim, quando for votar nas eleições de Outubro, poder identificar-me com a aplicação.

    Fernando Madeiras

  • Pedro AlmeidaResponder

    Não se esqueça que esta nova forma de identificação, também tem que ser aceite por privados…portanto o fato de embirrar também pode ser privado!!!

  • Ruy SilvaResponder

    Boas ideias, parabéns!

  • José Filipe RodriguesResponder

    No balcão da CP só aceitam identificação com Cartão Cidadão ‘físico’ para comprar um bilhete com desconto sénior!
    Além desse detalhe até há outro pormenor; obrigar a tal identificação demonstra falta de confiança no revisor que já na carruagem confere os bilhetes. A identificação na compra não prova que seja o próprio a viajar.

Deixe um comentário

O seu email não vai ser publicado.