Depósitos a Prazo a 12 meses

Com apenas €2.000 de dinheiro aplicado é possível, à entrada do segundo semestre de 2018, obter um juro de 0,9% (Taxa Anual Nominal Bruta) que se traduzirá em €14,4 líquidos de impostos no final do ano. Um valor simbólico que se multiplica para cinco se o depósito for de €10.000. De facto, €72 não são uma fortuna para remunerar €10.000 mas se pretende manter uma reserva de dinheiro disponível a todo o momento – o que costuma ser conveniente – sempre sãos mais €72 do que obteria se o dinheiro ficar à ordem ou debaixo do colchão.

Tenha atenção à possibilidade de mobilização do capital antes de se completar o aniversário da poupança. Por exemplo, no caso dos Certificados de Tesouro Poupança Crescimento (CTPC) – que aqui colocamos em competição com os depósitos por terem um nível de risco comparável- essa mobilização antes dos primeiros 12 meses não é possível. Ainda quanto aos CTPC note que têm um prazo de sete anos e taxas crescentes, só não podendo ser mobilizados nos primeiros 12 meses.

Em relação aos depósitos verifica-se que não são os bancos com mais clientes e recursos a oferecer as melhores taxas mas antes os bancos negócio prodominantemente online e que estão à menos tempo no mercado. Em todo o caso ,até aos €100.000 o risco é igual em todos pois os depósitos estarão semrpe cobertos pelo Fundo de Garantia de Depósitos.

A lista resulta da pesquisa que fizemos os sítios online dos bancos que oferecem depósitos a prazo em Portugal da qual excluímos os depósitos promocionais e é um excerto de uma outra lista com mais de 200 depósitos a prazo, para vários prazos que divulgamos na nossa página de Depósitos a Prazo sob a forma de um ficheiro excel onde encontrará, além dos depósitos, a informação das colunas que surgem mais abaixo e ainda outra como sejam a ligação para a respetiva ficha de informação normalizada, a ligação para o simulador de taxas de juro do Banco de Portugal ou indicação sobre a possibilidade de reforços ou renovações de cada depósito. No ficheiro Excel encontrará também os depósitos promocionais incluídos na lista.

Esta lista é atualizada regularmente. Receba um resumo diário dos nossos artigos e avisos de atualização seguindo-nos por email ou subscrevendo-nos no facebook, twitter ou pelos avisos push que pode assinar clicando no icon que surge no canto inferior direito do nosso sítio.

 

Depósitos a prazo a 12 meses – 4º trimestre de 2018

Banco Prazo Nome do Depósito TANB TANL Tipo de Taxa Depósito Mínimo Depósito Máximo Perda de juros com mobilização antecipada
Invest 1 anos(s) Choice Novos Montantes 1,3 0,936 Fixa 2000 75000 50%
Invest 1 anos(s) Depósitos a Prazo 1 0,720 Fixa 50001 500000 50%
BNI Europa 1 anos(s) 12 Meses 0,9 0,648 Fixa 1 000 N/A N/A
Invest 1 anos(s) Super Depósito Crescente 0,8 0,576 Crescente (Trimestral) 2000 500000 50%
Banco Privado Atlântico – Europa 1 anos(s) Rendimento Mensal 0,75 0,540 Juros mensais 10 000 250 000 N/A
Invest 1 anos(s) Depósitos a Prazo 0,75 0,540 Fixa 2000 50000 50%
ESTADO – IGCP 1 anos(s) Certificados do Tesouro Poupança Crescimento 0,75 0,540 Fixa 1 000 1 000 000 Não mobilizável (no 1º ano)
EuroBic 1 anos(s) Depósito Easy 0,7 0,504 Fixa 2 500 100 000 100%
Banco Privado Atlântico – Europa 1 anos(s) DP Atlântico 0,65 0,468 Fixa 500 250 000 80%
Finantia 1 anos(s) Depósitos a Prazo 0,6 0,432 Fixa (juros trimestrais) 50 000 500 000 100%

3 Comentários

  • Fernando da Silva Roque Responder

    Os juros pagos pelos bancos e os juros que cobram é algo impensável, num país que faz parte da comunidade europeia.
    Esta diferença abismal entre o que é pago e o que é recebido, devia dar, aos bancos, a oportunidade de realizarem grandes fortunas e não darem o prejuízo que, actualmente, dão. Prova evidente que estes são liderados por incompetentes ou por desonestos. Enquanto não houver uma fiscalização rigorosa e leis que punam os ladrões, seremos sempre um país subdesenvolvido, com um chapéu na mão, a pedir ajuda.
    Malandros e ladrões destroem um país.

    • Alex Responder

      Concordo plenamente com as afirmações do Sr. Fernando. Todos nós somos um pouco coniventes, pois andamos mais preocupados com o futebol e a internet, sem pararmos para pensar nos nossos verdadeiros problemas económicos e financeiros e questionar-mos acerca de quem os origina. É esta a essência humana.
      Nos dias de hoje, somos condicionados a receber ordenados, pensões, etc., via transferência bancária, sem alternativa instituída pelo poder do Estado. Por que será? Uma coisa leva à outra e aí temos as comissões bancárias, na sua maioria sem suporte em qualquer serviço efectivamente prestado. Serviços mínimos bancários? Tem conta ordenado? Então esqueça-os! Não pode aderir!
      E os supostos defensores do cidadão olham para o lado….

  • Fernando da Silva Roque Responder

    Os juros pagos pelos bancos e os juros que cobram é algo impensável, num país que faz parte da comunidade europeia.
    Esta diferença abismal entre o que é pago e o que é recebido, devia dar, aos bancos, a oportunidade de realizarem grandes fortunas e não darem o prejuízo que, actualmente, dão. Prova evidente que estes são liderados por incompetentes ou por desonestos. Enquanto não houver uma fiscalização rigorosa e leis que punam os ladrões, seremos sempre um país subdesenvolvido, com um chapéu na mão, a pedir ajuda.
    Malandros e ladrões destroem um país.
    Se este artigo está repetido, o que não acontece, é sinal que o que contém belisca o interesse dos desonestos, deste país, o que lamento.

Deixar uma resposta