Atraso na migração para SNC e falha do serviço na internet por parte das Finanças gera descontentamento entre TOC

Recebemos a seguinte missiva de uma leitora, MA, devidamente identificada, Técnica Oficial de Contas (TOC), relatando várias dificuldades colocadas pelas exigências legais de reporte financeiro e pela incapacidade do próprio Ministério das Finanças em corresponder às exigências que o governo colocou. Vale a pena ler na íntegra:

Exmos srs 
 
Como sabem neste momento está a decorrer a entrega de Mod 3 2ª fase e Mod 22. O que ninguém sabe é que os Tocs não conseguem cumprir estes prazos por diversos motivos:
 
1º Entrou em vigor em 1/1/2010 o SNC, pelo que os TOCs tiveram que alterar profundamente todos os procedimentos contabilísticos. O certo é que também a Administração Fiscal(AF) deveria acompanhar esta alteração. Pois não o fez, pelo que durante 2010 não foi possível a entrega de Mod 22 e IES em SNC, mas sim em POC.
 
2º Só em 18/4/2011 é que nos foi disponibilizada a 1º versão de Mod 22 em SNC com prazo de entrega até 31/5, cuja versão ainda anda a ser actualizada.
 
3º Este ano só no mês de Maio os Tocs têm que cumprir os seguintes prazos
            – Iva mensal -10 de Maio
            – Declaração de remunerações da Segurança Social-10 de Maio
            – Iva Trimestral- 15 de Maio
            – IRS 2ª fase, Mod 22 e Relatórios Únicos ( estes últimos não são da nossa responsabilidade mas somos sempre nós a fazer)
 
4º A declaração IES, cuja entrega está prevista até 15/7 ainda não está sequer disponível.
 
5º O site das Finanças está constantemente inoperacional e não nos permite consultar informação importante, tais como movimentos financeiros, declarações de substituição, etc.
 
6º Se consultarem as estatísticas das declarações submetidas, poderão constatar a percentagem de declarações de IRS e IRC que ainda faltam submeter ( coloco um print em anexo)
 
7º Foi solicitado pela nossa ordem prorrogação dos prazos e até agora não houve resposta.
 
Resta referir que se não forem submetidas, pelo menos as Mod 22 dentro do prazo, a AF emite coimas no valor de 100 euros + custas ( parece-me que aqui há “caça á coima”)
 
Segue então o print das estatísticas do site: 

 Como podem constatar faltam cerca de 278 mil declarações Mod 22 e 624 mil Mod 3 para submeter.  

Sem outro assunto de momento  M.A. 

Toc

Tagged under:

11 Comentários

  • Conceição Sousa Responder

    É sem dúvida um texto claro e directo que vale a pena ler.
    Vale também a pena dizer que o texto escrito pela colega é concerteza a voz suada neste momento de muitos profissionais. Somos tantos… e ninguém nos ouve… Penso que está realmente na hora de nos fazermos ouvir. Penso que chegou a altura de exigir respeito a quem tanto exige de nós.
    Conceição Sousa (TOC)

  • Sónia Carrasqueira TOC Responder

    Espero que alguém escute o apelo de quem só quer fazer o seu trabalho com respeito e dignidade.

  • Claudia Parcelas Responder

    Mais palavras para quê? Aqui está tudo dito trabalhamos para o estado a custo zero e ainda gozam connosco. Podiam ao menos a dignar-se a responder ao pedido da ordem ou sim ou não mas alguma resposta, mas devem andar muito ocupados com a campanha eleitoral, e quem trabalha que se lixe.

  • Rita Salgueiro Responder

    Este texto é o espelho do que milhares de TOC estão a sentir. Porque continuam a ignorar-nos?
    Pois se somos nós os responsáveis por encaminhar a maior fatia do dinheiro dos contribuintes para os cofres do Estado, não seria razoável ouvirem o que temos para dizer?
    Chegou a hora de sermos nós a exigir!!!

  • Gonçalo Carvalho TOC Responder

    Mais correcto não poderia ser. Falta só o que nos vai na alma e o que sofremos sem ninguém ver. Exige-se pelo menos uma resposta. SIM ou NÃO. É o minimo que devem fazer para agradecer o que fazemos por eles

  • Pingback:Vítimas do Portal das Finanças – novo grupo no Facebook | Economia e Finanças

  • chico toc Responder

    É uma tristeza. Fui tão engano. Qual dignidade profissional ! Estes tipos das finanças têm um poder que nunca deviam ter. São mal formados, pidescos, invejosos, sem carácter profissonal. No 25 de abril os militares recusaram-se a atirar sobre a população. ESTES NOJENTOS ESTÃO A QUEIMAR TUDO Á VOLTA DELES COM ORDENS DE COBRANÇA DE COIMAS E MULTAS NOJENTAS E VERGONHOSAS POR ORDEM DE SUPERIORES POLITICOS E CORRUPTOS.
    PARA QUANDO A JUDICIÁRIA NAS FINANÇAS?
    E EM FORÇA.
    QUEREMOS TRABALHAR, DEIXEM-NOS TRABALHAR ORDINÁRIOS.
    O SITE É UM NOJO UMA INCOMPETÊNCIA SÓ SERVE PARA FINS PIDESCOS ESSES SIM SÃO OS IMPORTANTES O RESTO NÃO LHES INTERESSA.
    SE ME PEDIRAM ALGUMA MULTA … VOU-LHES Á FUÇA. ALGUÉM TEM DE COMEÇAR

  • Pedro Responder

    …uma vergonha o modo como somos tratados: escravos do estado.

  • Pingback:Finanças alargam prazos de entrega de contas das pequenas empresas | Economia e Finanças

  • Luis Manuel Correia Responder

    Bom dia
    Colegas, reconhecer estas verdades, encará-las com o sacrifício – dos próprios e dos familiares, é algo que não vejo noutras profissões.
    Salvo aquelas em que muitos, reforço muitos, trabalhadores assumem sacrifícios para conseguir o salário possível à sua sobrevivência.
    No nosso caso, e nunca ignorando imensas e enormes desigualdades sociais, a grande diferença está que exercemos uma profissão “avençada” dos normativos legais impostos pela conjuntura governamental, sem que nos seja concedida a devida e obrigatória participação, informação, divulgação nos desenvolvimentos destas medidas.
    Do “outro” lado apenas se lê : “Faça-se até dia xxxx/xx …. e se não vos servimos, ou permitimos que voçês COMPREM as ferramentas necessárias, pouco nos importa.”
    Hoje sinto-me muito desagradado daquilo que faço.
    ~Queria muito conseguir partilhar o meu rendimento com a família, encarar o futuro com esperança e optimismo, ultrapassar com os meus concidadãos a grave crise que o nosso país Portugal enfrenta.
    Acrescento o que mais me tem desiludido (o que falámos anteriormente não é desilusão – é raiva, revolta, indignação) : O desrespeito pela maioria dos clientes. Esses, para quem nos dedicamos, são os primeiros a virar-nos as costas. E vamos nós conseguir que “aqueles” que estão lá enfiados nos ministérios nos “reconheçam” ?????
    Um abraço, e mais um bom dia de trabalho

  • Pingback:Entrega da IES 2011: prazo prolongado até 16 de Setembro | Economia e Finanças

Deixar uma resposta