Perdão de juros e custas pode não exigir pagamento integral da dívida

Contrariamente ou que foi indicado inicialmente (ver “Perdão de juros e custas a quem deve ao Estado e pague até 20 de dezembro“) o perdão de juros e custas a quem tem dívidas ao Estado pode ocorrer mesmo que o contribuinte não efetue o pagamento integral da dívida existente. A justificação principal deste perdão fiscal … Ler mais

Novidades para 2014 (dados da declaração do governo)

Eis a informação possível: As medidas extraordinárias aplicadas no orçamento do estado de 2013 manter-se-ão em 2014. O guião de reforma do Estado será apresentado para a semana (inicialmente previsto para fevereiro de 2013). Vai ser aplicada uma taxa sobre as rendas excessivas na energia (que não deverá refletir-se na fatura dos consumidores). Serão anunciadas … Ler mais

FMI defende mais flexibilidade na política de consolidação orçamental

Num estudo divulgado esta semana o FMI acrescenta detalhes à sua análise crítica do que se está a passar na Europa (e das consequências da política económica imposta pelos credores – de que faz parte) e cava a distância quanto ao que defende deve ser o rumo a seguir e aquilo que os restantes parceiros … Ler mais

Rácio da dívida pública portuguesa no PIB aumentou 35% em dois anos (4,5% na Zona Euro)

No final do primeiro trimestre de 2011 a dívida pública portuguesa cifrava-se em 94,5% do PIB. Volvidos dois anos esse indicador atingiu os 127,2%, um aumento de 34,6% ou de 32,7 pontos percentuais. Juntamente com a taxa de desemprego este será o indicador mais dramático e preocupante da economia portuguesa nos últimos anos, registando valores … Ler mais

Porque é que o corte de €4,7 mil milhões exigido pela troika é parte do problema?

Luís Aguiar-Conraria* num curto artigo no The Portuguese Economy (aqui => “The Biggest Challenge” ) expõe, recorrendo a um estudo muito recente do Banco de Portugal (que já aqui destacámos, ver “Cada euro a menos no défice são dois a menos no PIB (Banco de Portugal)“, quais os impactos que o corte esperado pela troika … Ler mais

A credibilidade boa e a credibilidade má no regresso aos mercados

Há dois tipos fundamentalmente diferentes de “regresso com credibilidade aos mercados”: o de caminharmos pelo próprio pé e o de convencermos o fiador Europeu. O primeiro dos caminhos, o desejável, pressupõe que a situação económica do país, por si só, inspire confianças e até desejo aos investidores internacionais de aqui colocarem as suas poupanças concedendo … Ler mais

FMI admite que ajustamento orçamental não deve ser cumprido integralmente

Na peça “FMI: “Ajuste orçamental não tem de ser levado ao máximo“” do Dinheiro Vivo são apresentadas várias declarações muito recentes de Christine Lagarde nas quais reconhece que o FMI se baseou em pressupostos errados pelo menos em dois momentos diferentes e relativamente a vários países sob intervenção atual do FMI, referindo-se à zona euro. … Ler mais

El Pais: Bruxelas prepara já há semanas um novo resgate a Portugal

O jornal El Pais está a avançar que está já em preparação um segundo resgate a Portugal reconhecendo assim que muito dificilmente o país estará em condições de regressar aos mercados para aceder ao crédito, sem apoio externo. Segundo o diário espanhol citando múltiplas fontes oficiais, está já há algum tempo em negociação (com Portugal) … Ler mais