Comissão Europeia antecipa ter de voltar a rever em baixa previsões para Portugal

“Negative growth surprise”; “larger than-expected decline”, “fell significantly stronger than expected”, “one year later than expected in the autumn 2012 forecast”; “Unexpected macroeconomic developments” são estas algumas das expressões que povoam as duas páginas do relatório da Comissão Europeia co mas previsões de inverno para os próximos anos. Em seis meses e de novo, todo o cenário macroeconímico para Portugal mudou substancialmente.

Não é fácil acreditar na verosimilhança das projeções para a evolução do PIB em 2013 feitas hoje pela Comissão Europeia (queda de de “apenas” 1,9%). E é a própria comissão que reconhece como provável ter de rever em baixo todo o cenário macroeconómico para Portugal, em breve:

” (…) Risks to the macroeconomic outlook are clearly tilted to the downside as the deeper-than-expected worsening in the labour market situation may point to a persisting deterioration of the growth outlook.
If this is confirmed by forthcoming data releases on the composition of the contraction in the last quarter of 2012, further downward revisions could be warranted. The projected recovery is also contingent on positive trade and financial market developments which remain fragile. In addition, in view of the largely revenue-based fiscal adjustment, macro-fiscal feedback loops might be more adverse to economic activity than projected.
On the positive side, spillovers from a gradual and successful sovereign-bond market access could help boost business investment. (…)”

Contudo, daqui não se antevê  qualquer reconhecimento explícito de erro ou desajustamento da política seguida ou recomendada. Insistir na fórmula mas agora com mais tempo, será a solução?

Aguardemos a prometida reação da Comissão Europeia e da troika agora na posse destas previsões.

Tagged under:

Deixe um comentário

O seu email não vai ser publicado.