Economia doméstica – Como usar para seu benefício

By Sociedade Leave a comment

A economia doméstica ou poupança familiar é um tema relevante devido ao entendimento de que ter uma reserva é realmente importante para a vida. Infelizmente muitas pessoas apenas compreenderam a necessidade desta reserva de emergência durante a crise vivida pelo mundo.

O que se vê é que, em geral, as pessoas não sabem como poupar porque pensam que para começar precisam de cortar muitos gastos, mas, como em qualquer projeto, começar é o mais importante. O montante vai aumentar linearmente, ou se se pode fazer uma grande economia exponencialmente, mas lentamente ou não, com pouco ou muito, o tema da economia nacional chegou para mostrar que começar é o maior desafio e também o maior benefício.

Se pensarmos sempre que só podemos ter uma reserva se ela já começar em grande, dificilmente daremos o primeiro passo, e é nesta realidade que a economia nacional entra. Poupe com a consciência de que mesmo tostões farão a diferença no futuro.

Vários vídeos e aulas gratuitos estão disponíveis na internet, por isso os novos aforradores não têm de comprar para aprender a economizar, o que incrivelmente acontece muito.

Como diz o nome, a economia doméstica está em aprender a poupar dentro de casa, por isso, a utilização correta dos produtos que adquirimos para uso caseiro são um bom ponto de partida para evitar desperdício e colocar dinheiro no bolso.

Um exemplo já clássico é a pasta de dentes. Os fabricantes normalmente recomendam uma gota de pasta, ou para ajudar, uma quantidade que se refere ao tamanho de uma ervilha. Colocar mais pasta na escova não significa que tornará os dentes mais limpos, uma vez que a quantidade extra irá literalmente descer pelo ralo.

Outra poupança é compreender as medidas de sabão líquido e hidratante corporal utilizados. A utilização destes produtos em abundância não torna o corpo mais limpo ou mais macio. O fabricante informa a quantidade de utilização para cada produto após vários testes, e a aplicação de determinados produtos numa dose superior à indicada pode até causar danos à pele, uma vez que pode entupir os poros.

Por conseguinte, seguindo a recomendação das empresas é também uma forma de poupar. Os testes realizados são importantes e não utilizar as recomendações pode não só trazer resíduos desnecessários, mas também afetar a saúde.

Fazer uma folha de cálculo de gastos também ajuda a entender para onde vai o dinheiro. Vale a pena gastar tanto em ordens de casa? Ou seria mais saudável e económico usar o tempo que usaria para esperar que a ordem fosse à cozinha e preparasse algo?

É importante desenhar outras perspetivas para além do que pensamos ser o mais fácil e rápido, afinal, fazer uma pasta com molho de tomate em casa é muito mais rápido e muito mais barato do que comprar na rua.

Tendo isto em conta, quanto é poupado por mês, e por ano com coisas que podem ser trocadas ou usadas com mais cuidado? Ou mesmo um pouco mais longo. Se for possível poupar 50 euros por mês, durante 5 anos, apenas em despesas desnecessárias, ao fim de 5 anos, sem investir, uma pessoa terá 3.000 euros, sem mais esforços.

Para uma pessoa que deixa de comer em casa todos os dias, talvez esses 50 euros por mês sejam 300, o que ao fim de 5 anos, será uma poupança de 18.000 euros por mês. Basta levar alguns jantares por mês, trocar produtos e entender como usá-los.

A ideia é poupar para um uso mais consciente do dinheiro, nem sempre é necessário fazer muitos sacrifícios. Uma salada feita rapidamente, uma pasta ou mesmo um peixe pode ter 5 a 15 minutos de preparação, mas esta troca pode criar uma reserva que ajudará muito em momentos críticos.

Mas poupar não deve infernizar a sua vida tornando-se uma obsessão. Com conta peso e medida deve poder continuar a dedicar algum do seu capital em atividades lúdicas que lhe dão bem estar e alguma satisfação momentânea, seja ela uma viagem a um lugar diferente que o ajude a quebrar a rotina, seja uma atividade mais caseira como Jogar em Casino Online.

A inteligência emocional deve ser uma das bases quando se começa a poupar. Compreender que a economia nacional não deve ter como pilar a culpa. Este é um dos desafios que os novos aforradores podem enfrentar, por isso ter uma parte separada do dinheiro para diversão e lazer pode trazer mais paz de espírito. O segredo está em escolher onde não desperdiçar para libertar recursos para aquilo que, de facto, interessa.

O principal não é poupar e não viver, é compreender que há um equilíbrio para tudo, incluindo em relação à parte financeira. Muitos especialistas dizem que a reserva de emergência deve rondar os 6 meses de vida, ou seja, é importante ter uma reserva que cubra 6 meses de uma vida sem limitações se houver um problema, como estar desempregado.

Depois disso, novos objetivos podem ser alcançados, como comprar um carro, uma casa, garantir a reforma ou até mesmo fazer uma viagem, como dissemos. O importante é que as despesas desnecessárias sejam realmente desnecessárias e que possam ser os grandes poupadores em tempos de crise, mesmo que o primeiro passo para esta questão seja uma moeda pequena.

Tagged under:

2 Comentários

  • Isabel Responder

    Num artigo sobre poupança adicionar esta frase: “seja uma atividade mais caseira como Jogar em Casino Online.” é um grande conselho… sim senhor!!!! 🤔

    • Fernando Responder

      É um conselho á “Sant’….ana Lopes”……..os mais pobres e a classe media baixa que jogavam na raspadinha, …..e deixaram de jogar devido á pandemia, ……….fizeram algumas poupanças, mas como o dinheiro não pode estar parado nas contas á ordem das pessoas, têm que incentivar a gastar no “casino online”, assim ficam em casa, fazem confinamento e dinheiro circula……da conta dos otários para a conta dos magnatas dos “casinos online”, visto que esses magnatas vão depois por o dinheiro a circular na economia……..!!!!!!!

Deixar uma resposta