Reformas Antecipadas em 2019: Fator de sustentabilidade desaparece só para alguns

OE 2019

Tal como vinha sendo indicado ao longo dos últimos anos, os critérios para aceder à reforma antecipada continuam a evoluir. As reformas antecipadas em 2019 deixarão de ser sujeitas ao fator de sustentabilidade (que representam um corte de 14,5%) mas apenas se os candidatos a pensionistas já tiverem 40 anos de descontos aos 60 anos de idade.

Atualizado a 18 e a 25 de outubro de 2018.

 

Reformas Antecipadas em 2019: Corte desaparece só para quem desconta desde os 20 anos

Por outras palavras, no mínimo, o candidato a pensionista terá que ter começado a trabalhar e a descontar até fazer 20 anos de idade (ou ter 120 dias de descontos no ano em que faz os 20 anos) e terá que ter feito descontos de pelo menos 120 dias em cada um dos 40 anos seguintes (que contarão como anos completos).

Só assim terá pelo menos 40 anos de descontos aos 60 anos de idade, a dupla condição que terá de cumprir para poder reformar-se antecipadamente sem ficar sujeito ao fator de sustentabilidade que lhe cortaria 14,5% da pensão.

OE 2019

Assim, quem começou a descontar até aos 20 anos e tiver 40 anos de descontos quando fizer 60 anos de idade e peça a reforma antecipada terá uma pensão maior do que quem só começou a descontar aos 20 anos e um dia.

Trabalhadores que se licenciaram, habitualmente com direito a reformas maiores, e que tipicamente só começaram a descontar depois dos 20 anos ficarão assim de fora desta novidade, continuando a ter de arcar com o fator de sustentabilidade caso se reformem antecipadamente.

 

Quem poderá pedir a reforma antecipada a 1 de janeiro de 2019?

Poderão pedir a reforma todos os que tenham 40 anos de carreira contributiva e pelo menos 60 anos de idade (regime de flexibilização de idade). Destes só terão dispensa do fator de sustentabilidade se tiverem 63 anos ou mais anos de idade.

Há ainda um regime de reformas antecipadas para desempregados de longa duração de que não falaremos neste artigo (veja detalhes no sítio da Segurança Social).

A partir de outubro de 2019 poderão reformar-se sem penalização associada ao fator de sustentabilidade todos os trabalhadores que aos 60 anos de idade tiverem já 40 anos de desconto. Ou seja, face a janeiro, cai o limite de só serem aceites os candidatos que já tenham 63 ou mais anos de idade e 43 anos de descontos, a fazer fé nas declarações do Ministro do Trabalho, Solidariedade e da Segurança Social a 18 de outubro de 2018. Naturalmente, estes novos reformados em outubro também já não serão sujeitos ao fator de sustentatibilidade.

Quem só atingir os 40 anos de descontos após os 60 anos de idade poderá reformar-se quando juntar as duas condições (pelo menos 40 anos de descontos e pelo menos 60 de idade), mas neste caso continuará a ter que ter a reforma calculada com o corte associado ao fator de sustentabilidade.

Este regime, segundo indicações do Ministro, no Parlamento, a 24 de outubro de 2018, continuará em vigor em 2019, juntamente com as alterações agora anunciados para janeiro e outubro de 2019.

No futuro é possível que o regime venha a ser revisto mas tal discussão sairá do âmbito do orçamento do estado para 2019.

 

Corte de 0,5% por mês até à idade pessoal de reforma mantém-se

O corte de 0,5% do valor da pensão por cada mês que falte até à idade pessoal da reforma continuará a aplicar-se a todos.

 

Bónus por cada ano acima dos 40 de descontos será reforçado

Note-se contudo que este corte será atenuado pois a idade pessoal de reforma será reduzida em 4 a 7 meses (em discussão) por cada ano completo de descontos acima dos 40 anos de carreira contributiva.

Neste caso o que muda face à situação atual é que cada ano de descontos acima dos 40 anos deverá dar direito a mais meses de antecipação da idade pessoal de reforma do que em 2018 podendo essa acumulação levar a uma reforma que pode acontecer antes dos 65 anos (um limite ao cúmulo de bonificações que existe em 2018 e que deverá cair em 2019)

Orçamento do Estado 2019 - Proposta em Debate

Esta informação foi transmitida pelo Bloco de Esquerda como sendo parte do acordo com o governo para que este partido aprove o Orçamento do Estado para 2019.

 

Síntese para 2019:

Eis as hipóteses e consequências para quem se quer reformar antecipadamente em 2019:

  1. Os que só completem os 40 anos de descontos depois dos 60 anos de idade terão duplo corte. Os cortes serão, o fator de sustentabilidade e 0,5% por cada mês de antecipação da reforma.
  2. Os que, após outubro de 2019, já tenham ou atinjam os 40 anos de descontos com 60 anos de idade reforma-se só com o corte. O corte será o dos 0,5% por mês de antecipação da reforma.
  3. Os que a partir de janeiro de 2019 tenha pelo menos 63 anos de serviço e pelo menos 43 anos de descontos já podem reformar-se só com o corte dos 0,5% por mês de antecipação da reforma.

Não deixe de ler: “Regime especial de acesso antecipado à pensão de velhice para carreiras muito longas

Tagged under:

57 Comentários

  • antónio magalhãesResponder

    Não é verdade o que dizem. Se alguém que fez 20 anos em junho por exº de 1980 e começou a trabalhar em Julho de 1980 se fizer 60 em Maio de 2019 – de acordo com a nova lei – não tem factor de sustentabilidade pois tem 40 anos de descontos ( conta desde 1989 e conta o ano de 2018 pois descontou amis de 120 dias) e 60 de idade logo abrange as condições legais.
    Estou certo ou errado?
    António Magalhães

    • José Miguel ConceiçãoResponder

      Comecei a descontar as em 1974 faço 62 anos em fevereiro 2019 posso ser reformado . cumprimentos

  • Rui Cerdeira BrancoResponder

    Bem visto António. Creio que terá razão. Vamos rever o texto.

  • JoaquimResponder

    Boa tarde comecei a descontar em 1977 e fazia 20 anos nesse mesmo ano em Junho neste momento vou fazer 41 anos em 2018 e já fiz 61 anos mas como não tive descontos no ano de 1982 por isso não faço os 42 anos de descontos mas sim os 41.
    Espero ser abrangido
    Abraço
    Joaquim

    • Rui Cerdeira BrancoResponder

      Sim, a partir de outubro de 2019 já se poderá reformar sem a penalização do fator de sustentabilidade. Terão ainda penalização associada aos meses de antecipação da reforma face à sua idade pessoal de reforma. Mais próximo da data peça uma simulação à Segurança Social para saber exatamente qual o valor da reforma caso peça a reforma, por exemplo, logo em outubro de 2019.

    • Rui Cerdeira BrancoResponder

      Face às declaração de hoje do Ministro o cenário pode ter mudado. Se a ideia do ministro vingar, quem aos 60 anos não tiver já 40 anos de desconto nem sequer poderá pedir a reforma antecipada, seja com ou sem penalizações.

  • Jorge SantosResponder

    Isto não passa da caça ao voto. Obrigaram-me a descontar para uma porcaria falida e vão atrazando a minha reforma na esperamça que morra ainda ao serviço. Deem-me o que eu já descontei e deixem-me tratar da minha reforma descansado, não preciso dessa inutilidade, quero é os meus descontos de volta.

  • José SoaresResponder

    Bom dia:

    Eu comecei a fazer descontos aos 14 anos mas como trabalhei em diversas casas (cafés) nem todos os patrões fizeram os descontos haverá solução para a minha situação, obrigado.

    • Rui Cerdeira BrancoResponder

      Hoje há mecanismos de proteção para quem calhe a ter “patrões” relapsos mas creio que não podem ser aplicados a situações do passado…

  • João Manuel JordãoResponder

    Boa tarde,
    Comecei a trabalhar em 1977 e continuo actualmente. Tenho 62 anos e farei 63 anos em Agosto de 2019. Qual a minha situação?

    • Rui Cerdeira BrancoResponder

      João Manuel Jordão, deverá poder reformar-se sem a penalização do fator de sustentabilidade. Sofrerá contudo alguma penalização por via da antecipação da idade pessoal de reforma (0,5% por cada mês de antecipação). Essas contas terão de ser feitas caso a caso e após se conhecer qual é a bonificação em meses que será atribuída por cada ano completo de descontos acima dos 40 de carreira.

  • José FernandoResponder

    E quem já se reformou por desemprego de longa duração e reúna essas condições é-lhe retirada essa penalização (fator de sustentabilidade). No meu caso reformei-me aos 62 anos de idade e 42 anos de descontos

  • Olga SoaresResponder

    E quem já se reformou por desemprego de longa duraçao, Fiquei reformada este ano em Junho com 62 anos e 42 de descontos?

  • António SantosResponder

    Não é justo para quem se reformou nestes últimos anos e reunia estas condições e levou com o factor de sustentabilidade. Era da mais elementar justiça que se repusessem as mesmas condições a partir da entrada em vigor da lei, afinal porque é que as condições não são iguais para todos.

  • Celeste AvilaResponder

    Faço 40 anos de serviço em março de 2019, no entanto já fiz os 60 este ano, posso me reformar a partir de outubro de 2019?

    • Rui Cerdeira BrancoResponder

      Sim. Com penalização de 0,5% por mês até à idade pessoal de reforma.

      • Rosária MonteiroResponder

        Neste caso, não tem 40 anos de serviço quando faz os 60 anos. Poderá pedir a reforma antecipada?

  • José SantosResponder

    Nasci em 03-08- 1958 e comecei a trabalhar em Novembro de 1977.
    ou seja em janeiro 2019 tenho 41 anos e 2 meses de descontos e 60anos e 4 meses de idade.
    Se solicitar a reforma antecipada a 1 de Janeiro de 2019 perco a sustentabilidade de 14.5%?

    • Rui Cerdeira BrancoResponder

      Em janeiro ainda não terá que ter 63 anos de idade, logo continuará a ter o corte do fator de sustentabilidade. A partir de outubro já não.

  • Mário Joaquim de Almeida LebreiroResponder

    Nasci em 07-02-1955e comecei a trabalhar em 02-02-1976. Ou seja em Janeiro de 2019 tenho 43 anos e 11 meses.
    Se solicitar a reforma antecipada em 07-07-2019quais seriam as minhas penalizações?

    • Rui Cerdeira BrancoResponder

      Nessa data terá 4 anos completos acima dos 40 anos o que lhe darão bonificação em termos de idade pessoal da reforma (que não será a de lei aos 66 anos e 5 meses mas inferior). Mas neste momento ainda não sabemos qual será a bonificação em número de meses que será dada por cada ano de serviço completo acima dos 40 anos daí não podermos responder com certeza. Pode não ter penalização nenhuma ou por ter alguns pontos percentuais.
      Em todo o caso, a penalização no seu caso será sempre pequena pois já se estará a reformar aos 64 anos e 5 meses e terá no mínimo 16 meses de bonificação (4 meses por cada ano completo de descontos acima dos 40) o que levará a sua idade pessoal de reforma para, na pior das hipóteses os 65 anos e um mês o que levaria a uma penalização de 8 meses, ou seja, 0,5%*8 o que daria 4% de penalização.

  • maria ramosResponder

    comecei a descontar para a segurança social em novembro de 1979. em março de 2019 faço 60 anos e em novembro faço 40 anos de desconto. posso pedir no final de novembro de 2019 a reforma sem penalização?

    • Rui Cerdeira BrancoResponder

      Como os 40 anos de descontos se completam no mesmo ano que os 60 de idade em princípio sim, mas não dá para ter a certeza absoluta face ao que disse hoje o Ministro. Teremos que aguardar se o que conta é o ano de aniversário ou se é o dia de aniversário.
      Face às declaração de hoje do Ministro o cenário pode ter mudado. Se a ideia do ministro vingar, quem aos 60 anos não tiver já 40 anos de desconto nem sequer poderá pedir a reforma antecipada, seja com ou sem penalizações.

  • MariaCãndida RebeloResponder

    Nasci em 24-05-1961,iniciei trabalho e respectivos descontos com 13 anos de idade. Actualmente estou a caminho dos 58 anos de idade e entrei nos 45 anos de descontos.Sou uma doente oncológica. Pergunto? Estou em condições de me reformar?

    • Rui Cerdeira BrancoResponder

      Todos os que quando completarem 60 anos já tenha 40 ou mais anos se descontos podem reformar-se. Antes disso recomendamos que contacte a Segurança Social para analizar a sua situação. Em 2019 haverá condições mais favoráveis para algumas situações a partir dos 57 anos. Terá que ver se é elegível para alguma delas. Por exemplo, se está ou não desempregada há muito tempo é relevante.

  • Manuel SaraivaResponder

    Nasci a 31 de Janeiro de 1958. Descontei, em 1979, um ano para a segurança social; seguidamente, em 1980, trabalhei e des contei um ano em França. Após essa data, descontei e continuo a descontar para a Caixa Geral de Aposentações. Nessas condições, pedindo a pensão unificada, terei direito a aposentar-me em Outubro de 2019 sem a penalização do fator de sustentabilidade? Obrigado.

    • Rui Cerdeira BrancoResponder

      O Ministro defendeu que o regime que está alinhavado para a Segurança Social seja alargado para o CGA. Neste momento não é claro como ficará a situação para os beneficiários da CGA em 2019.

  • SandroResponder

    É um bom incentivo para não seguir o ensino superior, e começar a trabalhar aos 16-18anos de idade. Assim teremos pessoas menos qualificadas e obviamente salários mais baixos.
    O impacto na sustentabilidade é mínimo mas o impacto na sociedade a longo prazo é enormemente negativo.
    Isto é uma decisão do terceiro mundo.

    • Rui Cerdeira BrancoResponder

      O único racional possível para segmentar a reforma antecipada da forma que é defendida pelo governo são os constrangimentos financeiros. Aparentemente alargar a quem tiver pelo menos 40 anos de descontos com 60 ou mais anos será extremamente oneroso e incompatível com a redução das penalizações.

  • Fernando Manuel da Silva NevesResponder

    Muito bom dia. Estou reformado desde 2016 e desconto 14,5% para o factor de sustentabilidade. Revendo a situaçao informo-o ( nasci a 15 Março de 1957) que comecei a descontar em 1976 com 19 anos. Tenho 41 anos ininterruptos de descontos até à data da minha reforma onde tinha 60 anos. Vim directo do fundo de desemprego para a reforma antecipada. Com estas características penso estar nas condições previstas para deixar de estar sujeito ao factor de sustentabilidade. Pode dar-me a sua opinião, por favor?

    • Rui Cerdeira BrancoResponder

      Não temos certezas ainda quanto à retroatividade da medida que entrará em vigor a 1 de janeiro de 2019.

  • Luís IlhéuResponder

    Boa tarde, no meu caso quando eu fizer os 60 anos de idade tenho 44 anos de descontos, dá para pedir a reforma?
    Obrigado

    • Rui Cerdeira BrancoResponder

      Sim, após outubro de 2019. Terão uma pequena penalização mas não terá o corte do fator de sustentabilidade.

  • EduardoResponder

    Boa tarde, sou funcionário público no meu caso comecei a trabalhar aos 17 de idade e tenho 45 anos e 8 meses de trabalho, quando posso posso reformar-me sem penalização.
    Obrigado

    • Rui Cerdeira BrancoResponder

      Sem qualquer penalização? Quando atingir a idade pessoal de reforma cujo calculo depende das bonificações dadas (em número de meses) a cada ano completo de descontos acima dos 40 anos de desconto.
      A fazer fé no Ministro, o Eduardo, trabalhando sempre, poderá pedir a reforma antecipada a partir dos 60 anos de idade (pois já terá 40 de descontos). Não terá a penalização do fator de sustentabilidade. Mas se se reformar antes da idade pessoal de reforma ainda terá um corte de 0,5% por cada mês de antecipação da reforma.

  • Fernando AlmeidaResponder

    Boa tarde,
    Relativamente a quem está na situação de desemprego de longa duração, e preenche em simultâneo os 2 requisitos (mais de 60 anos de idade e 40 anos de descontos aos 60 anos), quando solicitar a reforma antecipada no final do subsídio de desemprego, também se aplica a regra da isenção do fator de sustentabilidade? Obrigado

  • Manuel PitaResponder

    O factor de sustentabilidade para desempregados de longa duração é uma vergonha
    O Sr Vieira da Silva (criador do factor) sabe que o Sr Mota Soares aumentou o factor sem razoabilidade só para penalizar
    Os desempregados de longa duração já vão ser penalizados por idade e são muito prejudicados por estar desempregados
    devem ter reforma antecipada sem factor de sustentabilidade O corte de mais de 30% por idade já faz a sustentabilidade

  • Cecilia Martins CostaResponder

    Boa tarde,
    Tenho 62 anos de idade, 42 anos de descontos e estou desempregada de longa duração,sem nunca receber subsidio de desemprego ,foi trabalhadora independente por isso não tinha direito a subsidio desde 2012, há alguns anos. Posso pedir a reforma antecipada sem penalização ?
    Cumprimentos,
    Cecilia Costa

    • Rui Cerdeira BrancoResponder

      Só em 2019, quando atingir os 63 anos de idade. Em todo o caso, na altura, confirme na Segurança Social.

  • Maria da graça Ferreira Miranda de SousaResponder

    era tudo tão fácil de toda a gente interpretar reformas antecipadas por desemprego longa duração 46 anos de descontos . para quem tivesse empregado e quisesse deixar de trabalhar 46 de descontos com 0,5 de penalização . 47 -48 ou mais com uma bonificação. Assim toda a gente sabia com que contar , e não chateava-mos a seg-social. que muitas vezes dão informações incorretas .

    fui mal informada ,acabou o fundo de desemprego (3 anos) requeri o subsequente foi-me atribuído ,ao fim de 6 meses disseram que não tinha direito ,tive de devolver. entretanto como não recebia nada, fui forçada a pedir a reforma com penalização do factor de sustentabilidade. não me conformo .

  • Maria da graça Ferreira Miranda de SousaResponder

    Sr.Ministro Vieira da Silva ,ao fim de 46 anos de descontos ,e 62 de idade estando desempregada ,não acho que deva merecer a penalização do factor de sustentabilidade só porque comecei a descontar aos 17 anos , porque antigamente muitos patrões não descontavam para a Seg.Social .

  • Manuel PitaResponder

    Os desempregados lesados do Mota Soares que foram empurrados para “acordos” estão agora no desemprego de longa duração. A maioria não sabia que agora teria mais um corte na pensão. Os cortes são compostos idade + sustentabilidade + rescisão por acordo.
    É uma vergonha cortes superiores a 50% ou seja pensões abaixo do limiar de pobreza. Os senhores responsáveis do ministério da “solidariedade” sabem e deixam os desempregados ser usurpados dos seus direitos e não corrigem os cortes do PSD/CDS. Em especial o factor de sustentabilidade deveria ser eliminado no acesso a pensão no final do desemprego involuntário de longa duração.
    Eu sei que estes senhores nunca vão ficar desempregados e que a sustentabilidade das reformas deles está assegurada mas nós os que temos cortes sobre cortes devemos lembrar do que não fizeram na hora de lhes tirar a maioria que querem. Maioria para quê se as politicas são as do passado e não tem coragem nem vontade de corrigir

  • Ana GonçalvesResponder

    Eu estou na situação de desempregada de longa duração até agosto de 2020.
    Acontece que em maio de 2019 faço 60 anos com 41 de contribuições.
    O que acontecerá nestas situações?
    Alguém me pode informar?
    Muito grata

    • Economia e FinançasResponder

      Ana, já com as regras atuais, quando terminar o desemprego de longa duração deverá poder ter a reforma antecipada.
      A penalização será no máximo de 0,5% por cada mês que falte até aos 62 anos de idade. Se faz 62 anos em maio de 2021 e tem subsídio de desemprego até agosto de 2020 no máximo teria uma penalização de 4,5% no valor da pensão.
      Não sabemos se haverá alteração mas a existir não deverá ser para pior.

      • Ana GonçalvesResponder

        E o factor de sustentabilidade cai?
        É que actualmente para os desempregados existe essa penalização…
        Obrigada

  • Carlos DiasResponder

    Nasci a 31 Janeiro de 1958. Comecei a trabalhar em Junho de 1977 A 1979. Cumpri o serviço militar (marinha) 1979 a 1981. Em 1981 a 1996, descontei. De 1996 a 1998, estive no fundo de desemprego, houve a mesma descontos, correto. em 1998 a 1999 (1 ano trabalhei por conta própria fiz os respetivos descontos. Em 1999 ate a data de hoje 2018, trabalho na mesma empresa. Consultando já a Segurança Social, os meus descontos estão lá todos de Junho de 1977 a Setembro de 2018. Atualmente 60 anos de idade e 41 de descontos. A lei que esta para sair em Outubro de 2019 na altura espero ter 61 anos de idade e 42 de descontos. Aqui esta a minha questão, não terei a penalização do fator de sustentabilidade, 14,5%, mas tenho 0,5% por cada mês até completar os 65 anos.
    Agradeço uma resposta, obrigado

    • Rui Cerdeira BrancoResponder

      Há um dado que ainda não sabemos que é qual será a bonificação em termos de idade pessoal de reforma que será atribuído a cada ano de descontos além dos 40 anos. O seu caso terá dois anos de descontos além dos 40 anos. Se a bonificação for de 4 meses por ano, a sua idade legal de reforma será 8 meses mais cedo do que a idade legal de reforma que em 2019 será de 66 anos e 5 meses, ou seja, a sua idade legal de reforma seria de 65 anos e 9 meses. As penalizações mensais calcular-se-ão contra esta idade de 65 anos e 9 meses que será a sua idade de reforma que não daria lugar a qualquer penalização.
      Se a bonificação por cada ano de descontos acima dos 40 vier a ser mais generosa do que 4 meses a sua idade legal de reforma diminuirá e com isso diminuirão os meses de antecipação e a respetiva penalização.
      Já há vários anos que a idade legal de reforma não é aos 65 anos de idade.
      Em todo o caso, o que aqui dizemos não dispensa que no ano que vem consulte a segurança social até porque a lei não está fechada e poderá ser melhorada, entretanto.

  • Manuel Marques GomesResponder

    Bom dia,

    Nasci em 17 de Fev de 1958 e comecei a trabalhar em 18 de Maio de 1978. Ao fazer os 60 anos em 17.fev.2018 ainda não tina atingido os 40 anos de descontos, o que só veio a acontecer em 18 de Maio de 2018.
    Nestas condições posso beneficiar da isenção do factor de sustentabilidade?
    Obrigado
    Manuel

    • Rui Cerdeira BrancoResponder

      Manuel, não sabemos onde é definido o limiar, se no dia de aniversário, se no ano de aniversário. Quando soubermos daremos nota aqui no Economia e Finanças. Para já, a lei com o detalhe ainda não está aprovada.

  • José GonçalvesResponder

    Estou na situação de desempregado de longa duração até 3 de Junho de 2020.(3 anos) No dia 01 de Julho de 2020 faço 60 anos e 46 de descontos para a segurança social. Comecei a descontar antes dos 15 anos.
    -Posso pedir a reforma sem cortes naquela data? Posso optar pelo regime das longas carreiras contributivas?

    Alguém me pode dar uma opinião?
    Muito Grato.

  • helder manuel rocha roqueResponder

    comecei a trabalhar aos 14 anos no 1- 8- 1975 vou fazer 58 para março tenho direito algum

    • Rui Cerdeira BrancoResponder

      Se está empregado, terá de esperar pelos 60 anos para se poder reformar. Nessa altura poderá ter já 45 anos de descontos o que irá fazer descer a idade pessoal de reforma em, no mínimo, 20 meses (idade na qual não terá qualquer penalização). Daqui a dois anos procure informar-se para perceber qual a lei em vigor.

  • António JoséResponder

    Boa tarde comecei a descontar em outubro de 1976 e fiz 21 anos nesse mesmo ano em Dezembro de 1076, neste momento tenho 43 anos de descontos e vou fazer 63 anos de idade em Dezembro de 2018 . Espero ser abrangido e poder reformar-me a partir de Janeiro de 2019.

  • António JoséResponder

    Boa tarde comecei a descontar em outubro de 1976 e fiz 21 anos nesse mesmo ano em Dezembro de 1976, neste momento tenho 43 anos de descontos e vou fazer 63 anos de idade em Dezembro de 2018 . Espero ser abrangido e poder reformar-me a partir de Janeiro de 2019 já com 43 anos de descontos e 63 de idade.

    • Rui Cerdeira BrancoResponder

      Segundo o que está previsto no OE2019 poderá certamente reformar-se e sem uma das penalizações (o factor de sustentabilidade).

  • leonelestrelasimãomurtinheiraResponder

    Vejo tudo isto uma palhaçada e muita injustiça, reformei-me aos 61 anos por desemprego de longa duração, com uma carreira contributiva de 46 anos, sim porque iniciei esta com 14 anos de idade embora tenha começado a trabalhar aos 12, mas a idade legal para trabalhar nesta altura era aos 14 anos, levei com o factor de sustentabilidade e outros nomes pomposos que estes politicos espertos (parvos ) atribuem agora vejo reformas atribuídas com menos anos sem este corte não será isto injustiças?.

    E já agora queria deixar uma pergunta, segundo julgo saber o limiar da pobreza é para quem tem menos de 413 euros de rendimento?.

    Como é possível atribuir uma pensão de 385 euros ao fim destes anos de contribuição?.

  • Rui PitaResponder

    No desemprego de longa duração, meio por cento por ano mais fator sustentabilidade mais penalização por acordo, é uma vergonha no meu caso OBRIGADO a me aposentar aos 57 anos vejam que me cortam 60%.
    O Sr. Vieira da silva assobia para o ar porque sabe que nunca vai ser desempregado, no entanto herdou do PSD/CDS este brutal aumento de cortes e esfrega as mãos de contente, pessoalmente não vou esquecer quando votar para a tal maioria absoluta do Sr. Costa

Deixe um comentário

O seu email não vai ser publicado.