Factor de Sustentabilidade das Pensões – 2012: reformados podem perder 3,92% da pensão

O INE divulgou hoje os dados provisórios da esperança de vida aos 65 anos, tornado possível estimar qual vai ser o factor de sustentabilidade a aplicar às pensões de quem se venha a reformar em 2012, ou seja, será possível determinar que, por via de ganhos ou perdas da esperança de vida, é necessário trabalhar mais tempo para se ter direito à reforma sem que haja penalizações. A esperança de vida tem vindo de facto a aumentar. Em 2012, sem mais tempo a trabalhar, a perda de pensão será de 3,92%.

EMV 65 Variação Factor de sustentabilidade Corte % nas pensões
2011 18,62 0,812 0,961 3,92
2010 18,47 1,539 0,969 3,14
2009 18,19 0,331 0,984 1,65
2008 18,13 0,778 0,987 1,32
2007 17,99 0,559 0,994
2006 17,89

 

A forma de evitar essa penalização é trabalhar mais alguns meses: cerca de mais um ano se tem entre 15 a 24 anos de descontos.

 As taxas de bonificação mensal (quanto acresce à sua reforma por cada mês de trabalho além da idade limite de reforma) podem ser consultados em baixo ou na fonte: escalões das taxas de bonificação mensal das pensões.

Taxa de Bonificação Mensal
Situação do Beneficiário
Idade do Trabalhador Carreira Contributiva (em anos) Taxa de Bonificação Mensal
Superior a 65 anos 15 a 24 0,33%
25 a 34 0,50%
35 a 39 0,65%
Superior a 40 1,00%

Um exemplo, se tem entre 15 a 24 anos de descontos e atinge o limite da reforma em 2011, vai perder 3,14% da pensão devido ao factor de sustentabilidade das pensões. Como recebe mais 0,33% da pensão por cada mês que trabalha além da idade limite da reforma (ver os escalões acima indicados) terá de trabalhar cerca de 12 meses (3,92/0,33=11,9) para repor o que iria perder.

Tagged under:

3 Comentários

Deixar uma resposta