Histórico de Etiquetas: Certificados do Tesouro

Novas subscrições de Certificados do Tesouro terminam a 31 de agosto de 2012

[wp_ad_camp_1] O comunicado do IGCP é lacónico mas, nas horas seguintes, percebeu-se que está em marcha um conjunto de alterações nos instrumentos de subscrição da dívida pública ao dispor de particulares. Destacamos, para já, o comunicado sobre os Certificados do Tesouro cuja subscrição termina amanhã: O Instituto de Gestão da Tesouraria e do Crédito Público,

Portugueses detêm 25% da dívida nacional; em Espanha e Itália valor é superior a 56%

Em várias artigos na edição de hoje do Jornal de Negócios analisa-se a dívida pública e a história recente lusitana da sua posse por particulares. Num dos artigos refere-se uma iniciativa do Estado Italiano conhecida como o “Dia das Obrigações” no qual havia uma “promoção” que isentava os aforradores nacionais que subscrevessem títulos do tesouro italiano do pagamento das

De onde vem o dinheiro que engorda os depósitos a prazo? (act.III)

[wp_ad_camp_1] Recorde-se o artigo que aqui publicámos ontem sobre os depósitos a prazo: “Portugueses depositam o equivalente a 91,2% do PIB “. Face a isto é legitimo perguntar de onde vem este dinheiro.  Ora já esta semana o IGCP revelou que o duo Certificados de Aforro e Certificados do Tesouro estão a registar, em termos líquidos, resgates

Taxa de juro até cinco ano sobe para 2,15% nos Certificados do Tesouro

Como é sabido apenas a remuneração até aos 5 anos de maturidade, exclusive, tem sido revista mensalmente nos Certificados do Tesouro. As restantes, a 5 anos e até aos 10 anos estão fixadas nos 6,8% e nos 7,1% respectivamente. Assim, as taxas aplicáveis a poupança constituida em Agosto de 2011 respeitarão as seguintes remunerações: ”

Programa Nacional de Poupança (act. III)

Com a tomada de posse de um novo governo começam a surgir algumas das palavras-chave que poderão vir a acompanhar-nos ao longo dos próximos meses. Uma expressão que nos cativou em particular e sobre a qual pretendemos ir mantendo os nossos leitores actualizados é o hoje anunciado Programa Nacional de Poupança. Para já pouco mais

IGCP não altera as taxas de juro dos Certificados do Tesouro para Junho 2011

Sendo certo que se sabia já que as remunerações para quem mantivesse os Certificados do Tesouro durante 5 anos ou até à maturadade (10 anos) não iriam ser revistas em alta, mantinha-se a expectativa de o juro a 1 ano pudesse vir a ser alterado, contudo, manteve-se nos 2,1% (taxa bruta). Ou seja, tudo o que

Fuga recorde nos Certificados de Aforro em Abril 2011: 705 milhões de euros

Nunca num único mês os Certificados de Aforro tinham registado perdas líquidas tão expressivas: 705 milhões de euros. Este valor corresponde sensivelmente ao desinvestimento acumulado registado nos três meses anteriores, ele próprio já muito acima do que vinha sendo habitual. Como modesta compensação, registou-se uma entrada líquida de 90 milhões de euros em poupança sob

IGCP assume que 7,1% é o valor máximo do juro dos certificados do tesouro

O IGCP acabou de divulgar as taxas de juro aplicáveis aos três períodos de maturidade/resgate definidos nos certificados de tesouro e assumiu ainda que a taxa até às maturidades de 10 anos e de 5 anos não será mais revista em alta, seja qual for o comportamento da dívida pública no mercado, ou seja, manter-se

Aumento de poupança nos Certificados do Tesouro é menos de metade da fuga dos Certificados de Aforro | Março de 2011

Em termos líquidos, entre certificados de aforro e certificados do tesouro, saíram 161 milhões de euros dos cofres do Estado no mês de Março de 2011. Nos certificados de aforro os resgates superaram as subscrições em 312 milhões de euros com as subscrições a registarem valores mínimos e os resgastes valores máximos desde, pelo menos,

Certificados do Tesouro: simulador actualizado

Sendo certo, tal como referimos ontem (ver “Taxas de juro dos Certificados de Tesouro em vigor em Abril de 2011 (act.)“) que o Governo limitou a subida das taxas de juro para as maturidades barreira (a 5 e 10 anos) invocando a existência de um mercado idsfuncional, também é certo que a remuneração a pagar

Taxas de juro dos Certificados de Tesouro em vigor em Abril de 2011 (act.)

Foram conhecidos há pouco as taxas de juro aplicáveis às várias maturidades-barreira (5 e 10 anos) dos Certificados do Tesouro que venham a ser subscritos em Abril de 2011. Face a Março apenas se regista uma revisão em alta  para o prazo mais curto, ou seja, a remuneração anual que será paga a quem resgatar os

Top