Negócios confirma notícia do Economia e Finanças sobre fim de privilégio aos governos pelo INE

O jornal de Negócios confirmou e conseguiu recolher detalhes adicionais sobre a notícia aqui avançada a 9 de dezembro, na qual se relatava que o “Governo deixa de receber informação do INE com antecedência“. Eis um excerto da peça de hoje do Negócios:

“(…) A mudança foi avançada pelo site “Economia e Finanças” no início de Dezembro, dando conta de uma alteração na “Política de Difusão”, publicitada no site do instituto, onde se passou a ler que “às 9 horas do dia da sua divulgação no Portal do INE têm acesso prévio, sob embargo, à informação estatística oficial: o Presidente da República e os Directores dos Serviços Regionais de Estatística das Regiões Autónomas” – e estes últimos, apenas “quando estão em causa estatísticas de âmbito nacional com desagregação a nível de NUTS II)”. Nenhuma referência ao Governo, nem no dia antes, nem no próprio dia.

Várias fontes ouvidas pelo Negócios notam a coincidência entre a decisão do INE e um episódio recente de  utilização pública por um membro do Governo de informação sob embargo. Não sendo comum, não foi caso inédito nos últimos anos nos vários Executivos.

Politica de difusão do INE

Politica de difusão do INE

O Negócios questionou o instituto que se limitou a confirmar a alteração, justificando-a com a opção de “acompanhar as actuais tendências internacionais que, à luz do Código de Conduta para as Estatísticas Europeias, apontam para a  restrição, ou mesmo eliminação, do número de destinatários das informações estatísticas sob embargo, bem como para a diminuição progressiva do número de horas do acesso prévio, sob embargo, aos dados que as autoridades estatísticas irão divulgar”, explicou fonte oficial.  (…)”

Pode ler a peça integral do Negócios nesta ligação “INE deixa de antecipar informação ao Governo” (reservado a assinantes).

Tagged under:

Deixar uma resposta