Contribuição para a ADSE pode chegar aos 3,5%: pode evita-la saindo do sistema

Desde 2010 que qualquer beneficiário da ADSE pode sair da ADSE do sistema deixando de poder beneficiar do mesmo e, consequentemente, deixando de o pagar. De então para cá a contribuição para a ADSE não tem parado de aumentar sendo expectável que dentro de poucos dias seja anunciado novo aumento que deverá levar a contribuição anual para os 3% ou 3,5% do salário bruto de cada trabalhador. Destaque-se que o governo avançou ontem que será necessário uma contribuição de 3,5% para que a ADSE seja sustentável e que o objetivo da sustentatibilidade previsto para 2016 teria de ser antecipado.

Exemplo prático:

Imaginando um funcionário público com salário bruto de €2000, em 2014 perderá 12% por via do corte salarial (que era de 3,5% em 2013) ao qual acrescerá até 3,5% da ADSE (era de 2,25% em 2013). No final do ano, este funcionário público pode acabar a pagar só para a ADSE um total de €980. Ora este valor para um seguro de saúde pode muito bem ser considerado excessivo e incentivar o beneficiário a sair do sistema passando a valer-se do Serviço Nacional de Saúde e/ou de outro contrato de seguro mais económico. Tudo dependerá de factores como a idade, benefício esperado, no fundo, do custo de oportunidade associado ao serviço sendo que o esmagamento salarial e a falta de rendimento disponível podem também ter um papel fulcral na tomada de decisão.Desistir da ADSE pode, neste exemplo, representar um acréscimo de rendimento disponível mensal da ordem dos €81 (a ADSE é descontada sobre 14 salários). Um dos factores que pode condicionar a saída, além dos referidos, será a existência ou não de vários beneficiários (familiares) associados à mesma contribuição feita. Em todo o caso, os incentivos para a “fuga” estão a aumentar.

Recorde-se que a ADSE funciona como um seguro de saúde que dá acesso a uma rede de servidores contratados, tipicamente privados, ainda que também contribua para sustentar, em parte, o próprio Serviço Nacional de Saúde. Note-se que os integrantes da ADSE têm uma contribuição equivalente à dos não integrantes acrescendo o custo da ADSE à taxa social única. Sendo certo que, em tese, podem beneficiar do mesmo sistema de saúde  do regime geral da segurança social, na prática, recorrem habitualmente ao sub-sistema.

Se os incentivos à fuga da ADSE forem suficientemente relevantes com este aumento das contribuições, é natural esperar grandes desafios para o Serviço Nacional de Saúde que poderá assistir a um afluxo significativo de novos utentes de pleno direito.

ADENDA: Este artigo foi inspirado numa discussão no Facebook de que o Pedro Pita Barros deu aqui mais algumas notas: “sair da ADSE é possível? é!“.

ADENDA II:  No Relatório de Atividade de 2012 da ADSE, na página 20, pode ler-se:

“Com a alteração introduzida ao Decreto-Lei 118/83, pela Lei do OE/2010 (Lei nº3-B/2010, de 28 de Abril) todos os beneficiários titulares da ADSE, incluindo os inscritos anteriormente a 1 de janeiro de 2006, passaram a poder renunciar à sua inscrição, sendo esta definitiva. “

Tagged under:

27 Comentários

  • americoResponder

    COMO SERIA BOM QUE TODOS OS TRABALHADORES DO PRIVADO GANHASSEM 1.000€.

    • MapariResponder

      Não sei se os que ganham €1.001 ou mais gostariam disso.

  • Manuel PinhoResponder

    Estes senhores (como o Sr. Américo) têm um ódio aos func. publicos (FP)incrível!!!Esquecem que a maioria dos FP ganham 500 a 600 euros, mas depois há médicos que ganham 3000 a 6000 euros, enfermeiros que ganham 1100 a 3000 euros, diretores que ganham 5000 a 10000 euros, etc. O povo, que trabalha no duro, que toma conta dos seu filhos na escola, que limpa as instalações, que é cantoneiro, serralheiro, carpinteiro, etc. etc., ganha, Sr. Américo, 500 a 600 euros e leva para casa menos de 500 euros!!! Isto é a verdade dos FP (esses FP filhos da….. como o Sr. pensa!!!)

  • mariaResponder

    Como seria bom se todos os Funcionários Públicos ganhassem 1.000€
    Quem ouve os politicos parece que os salarios dos F.p. são um espetaculo.
    E o povinho ignorante a acreditar…

  • CarlosResponder

    Como seria bom que todos os funcionários públicos ganhassem 1.000€.
    Não devem saber que existem F. Públicos a ganhar cerca de 600€.
    Mas para não aumentar o IVA (que sou contra a mais aumento de impostos)mas neste caso mais uma vez f….. os F. Publicos.

  • SusanaResponder

    Agora, os Fun publicos são coitadinhos, isso é que era bom.
    deixo o seguinte recado. deixem de olhar apenas para o vosso umbigo e experimentem trabalhar no privado, principalmente no Norte com a mentalidade dos pequenos empresarios para ver o que é bom, se é ser fP ou trabalhador do privado.
    Coitadinhos dos FP que ganham 500 ou 600€ e os do privado? com salarios em média de 600€ e não têm ADSE, se querem fazem seguro e papam em média 60€ anuais e quando pagamos as consultas pagamos 15 ou 20€ ao contrario dos3€ que os FP pagam. Pois é minha gente, a mama acabou, se não estão contentes, mudem- se é o que acontece no privado.

  • SmvesResponder

    E os reformados também ?

  • MapariResponder

    A inveja a nivelar tudo por baixo. Já viram que não aparece aqui ninguém a querer que os outros fiquem melhor? Só surge mentalidade: não se queixem que há quem esteja pior, vejam no norte, vejam os que recebem €500, vejas os que estão desempregados. Ora como há sempre alguém mais miserável do que o miserável que conhecemos, vamos todos ficando cada vez… pior.
    Pode ser que um dia nos lembremos de esperar para os outros o que queremos para nós.

  • SilversurferResponder

    Se os funcionários públicos falarem com todas as seguradoras, garantidamente que nenhuma faz um seguro com as mega coberturas da adse por menos de 500€ mensais…. É um seguro milionário que todos temos que pagar aos FP e à família toda que também tem direito….

  • Pingback:TOP5 de artigos mais partilhados na última semana de 2013 / primeira de 2014Economia e Finanças | Economia e Finanças

  • carinaResponder

    Já trabalhei no privado e sempre disse que não gostava da atitude de muitos funcionários públicos em muitos serviços e hoje trabalho na função pública e continuo a ter a mesma opinião mas isso não invalida que acho uma tremenda injustiça o que está a acontecer sou daquelas que tem um ordenado de aprox. 700 euros e quem diz que fomos uma classe privilegiada não sabe o que diz porque também há muita injustiça no privado e pelo menos muitos até têm um sistema de avaliação anual que até serve para alguma coisa, no nosso caso temos um horário a cumprir, ter um desempeno que raramente chega a excelente porque isso é só para as “cunhas”, trabalhar mais de 8horas, mesmo antes da alteração da lei, e todos os meses temos menos dinheiro…Isto é algum privilégio?Quem está no privado experimente vir para a função pública…Só fala quem não conhece as duas realidades!

  • anaResponder

    será que alguém me pode dizer qual a lei que prevê que os funcionários públicos podem deixar de descontar para a ADSE?

  • Ana Paula HortaResponder

    Aconselho os privados a deixarem-se de invejas e a pagar um Seguro tal como os funcionários.públicos, Esquecem-se estes senhores do privado que além do desconto para a ADSE ainda descontamos para a CGA? Quantos descontos têm os senhores do privado? Apenas um desconto. Então está na hora de deixar as invejas e pagarem um Seguro de Saúde. Tão simples quanto isto!

  • MapariResponder

    Ana, está aqui a informação “Com a alteração introduzida ao Decreto-Lei 118/83, pela Lei do OE/2010 (Lei nº3-B/2010, de 28 de Abril) todos os beneficiários titulares da ADSE, incluindo os inscritos anteriormente a 1 de janeiro de 2006, passaram a poder renunciar à sua inscrição, sendo esta definitiva. ” Fonte: http://www.adse.pt/document/Relatorio_de_atividades_de_2012.pdf

  • JoãoResponder

    se ganham 1500 ou 2000 euros é que estudaram para isso. Se querem ganhar mais e tem inveja dos Funcionários Publicos, estudassem..

  • susanaResponder

    Olá Ana Horta,
    Não sabes o que dizes, os Privados descontam 11% para a seg social+ irs com uma tabela superior á dos F P. Se não sabes verifica. A tabela está disponivel para todos.
    Quanto á ADSE é um privilegio, só desconta quem quer e mais é um seguro fantastico.
    Nenhum seguro do privado se iguala a esse, para termos um parecido não pagamos ao seguro 2.5% ou os eventuais 3.5% do salario Bruto.
    Portanto, o desconto para a ADSE não conta menina Ana Paula Horta, pois é uma regalia que os trabalhadores do Privado não Têm e certamente se tivessemos escolha, também o tinhamos.
    Para o Sr. João, parece-me estar fora da realidade portuguesa. Muitos funcionarios do privado estudaram e muito e não tem esses salarios pois não é tabelado como na FP.
    Isto acabava muito facilmente- Privado = publico- mesma tabela salarial, mesmos beneficios e mesmas obrigações.
    Aqui não há inveja pelos FP. Existem é determinadas beneficios que os FP foram adquirindo que na realidade actual estão desasjustados.

  • josé Alves de MatosResponder

    A TODOS OS COMENTARISTAS PAPAGAIOS!…DEIXEM-SE DESSES COMENTÁRIOS QUE SÓ FAZEM INIMIGOS.
    VOÇÊS, SÓ FALAM DE FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS E PRIVADOS E ESQUECEM-SE DE FALAR NOS VENCIMENTOS MILIONÁRIOS DOS POLÍTICOS, DOS POLÍTICOS QUE PAGARAM OU NÃO 9 ANOS DE DESCONTOS E FICARAM COM UMA REFORMA MILIONÁRIA, DOS GESTORES, DE PRESIDENTES DE BANCOS CGD ETC ETC ETC. A GANHA
    REM MILHÕES MENSAIS COM POUCOS ANOS DE DESCONTOS. EU E TODOS OS QUE ADERIRAM À CGAP DESCONTÁMOS AS IMPORTÃNCIAS OBRIGATÓRIAS EM CONFORMIDADE COM O QUE SE RECEBIA. SE A CGAP E A CAIXA PRIVADA ESTÃO DEFICITÁRIAS, NÃO É POR CULPA DE QUEM PAGOU MAS SIM DOS MILHÓES DESCON TADOS QUE EM VEZ DE SEREM DEPOSITADOS NO SITIO PRÓPRIO,TEREM SIDO “DESVIADOS” PARA OUTROS CAMINHOS QUE NÃO OS PRÓPRIOS.

  • josé Alves de MatosResponder

    É pena estes comentários não puderem ser editados para rectificação de erros involuntários.

    • MapariResponder

      Pode republicar corrigido que nós apagamos o original com erros.

  • Pingback:Governo vai aumentar contribuição da ADSE para os 3,5% do salário | Economia e Finanças

  • José SilvaResponder

    Sra. Susana:

    Todos os trabalhadores em funções públicas descontam 11% para a CGA ou S. Social.
    A tabela de IRS é igual à dos privados. Não era igual em anos anteriores devido ao corte nos subsidios de natal e de férias. Se não recebe 14 remunerações por ano não podia ter uma taxa de IRS igual.

  • Pingback:Militares e polícias vão poder abandonar subsistemas de saúde | Economia e Finanças

  • CORREIAResponder

    O ZÉ PORTUGA É BANANA MESMO!!!! SOMOS TODOS UNS O´TARIOS QUE EM VEZ DE NOS REVOLTARMOS CONTRA A CORJA DE GATUNOS E FIL..D…PU…QUE ESTAO NA ASSEMBLEIA A MAMAR 4000EUR E POR AÍ ADIANTE,ESTAMOS A CRITICAR OS FUNCIONARIOS PUBLICOS!! QUE EU SAIBA OS CONCURSOS QUANDO ABREM SAO PARA TODOS!!! E NO PRIVADO OS GESTORES E DIRECTORES DAS EMPRESAS QUE PAGAM MAL E A MAS HORAS(FALO POR MIM) MAS TEEM UM GANDA CARRO E MAMAM 3500EUR MES…..DEIXEM-SE DE TRETAS,TEMOS É K NOS UNIR E DE 1 VEZ POR TODAS ACABAR COM ESSA CORJA NO NOSSO PAIS!!!MAS……COMO DIGO SOMOS UNS BANANAS……NUM PAIS ONDE ESTIVE 3 ANOS POR MUITO MENOS ARDEU TUDOS E OS POLITICOS FUGIRAM PARA PAISESVISINHOS SE NÃO ERAM QUEIMADOS VIVOS,HJ ESSE PAIS CRESCE 2 A 3% ANO, VEEM COMO OS K FORAM PRA LÁ APRENDERAM!!!!

  • mariaResponder

    QUALQUER UM PODE SER SE QUISER DESCONTAR PARA A ADSE! NÃO É PRECISO SER F.PUBLICO OU PENSIONISTA DA CGA

  • orluzResponder

    Só tem direito à ADSE quem trabalha na função publica.

  • GuiResponder

    O povo portugues é assim, ficam contentes pelos funcionários publicos estarem a perder direitos em vez de lutarmos por ter os mesmos direitos que os funcionarios publicos , assim não vamos longe!!

  • Alexandra TeixeiraResponder

    Aos que estão contra do FP, relato a minha experiência. Fui FP durante 23 anos e mudei para a privada, pois os descontos, cortes salariais, congelamentos na progressão na carreira fizeram-me repensar a minha vida profissional. Hoje ganho substancialmente mais do que ganhava há dois anos, e afirmo com conhecimento de causa que os descontos que faço não são maiores do que na FP. Acresce o facto de o meu rendimento ser proporcional à minha produtividade, situação que não sucedia na FP. A questão fundamental é o profissionalismo de cada um e quem não deve não teme. Quem se sente mal na privada mude para a FP,mas não aconselho. Abraço a todos.

Deixe um comentário

O seu email não vai ser publicado.