Carta aberta ao Povo Finlandês por Helder Fernandes (correspondente da TSF)

Na ligação que se segue encontra-se a tradução de uma carta aberta ao povo Finlandês escrita por Helder Fernandes num dos jornais mais lido desse belo país. Leia aqui a “Carta aberta ao Povo Finlandês” (via @secr3tas -twitter- e TVI24). Um exercício de memória e uma saudável provocação ao anti-egoista que há em cada um de nós, independentemente da nacionalidade.

Um curto excerto:

“(…) Mas não obstante confrontados nos agora tempos de hoje, em aparente insolvência e nas maissozinhas de todas as suas horas, com o desespero e adversidade, eu estou confiante e seguro de queos Portugueses de hoje, mães e pais, agricultores, trabalhadores, padres e estudantes, e até mesmo crianças, de lés a lés naquele país se elevariam da consciência, a fim de mostrar os seus maissinceros e genuínos sentimentos de nacionalismo e humildade para ajudarem e confortaremFinlândia e o povo finlandês, se alguma outra vez cataclismo ou desastre batesse à porta daFinlândia e iluminasse a ideia obscura da extinção da heróica nação Finlandesa, tal como aconteceuhá sete décadas passadas. (…)”

Tagged under:

3 Comentários

  • Jan S.Responder

    helder.fernandes @ tsf.pt
    Rádio c / o TSF Rádio Notícias
    http://www.tsf.pt/paginainicial/

    Helder Fernandes Sir

    Obrigado por sua carta aberta ao povo finlandês.
    Em seguida, na própria imagem de Portugal e da Finlândia, como a história eo grandes contratempos, que estamos orgulhosos de ter sobrevivido batalhas.

    Pela minha parte, gostaria de ajudar com Português, mas na Finlândia, é uma emergência ainda maior.
    Aqui eu gostaria de apresentar ao povo de Portugal, alguns fatos sobre a Finlândia, e provar que nós estamos fazendo muito pior do que em Portugal. – E é por isso que nós queremos priorizar a alocação de subvenções.

    Original:
    http://www.uusisuomi.fi/ulkomaat/111481-yle-portugalin-ex-presidentti-haukkuu-suomen-%E2%80%9Dkaapiot%E2%80%9D
    Google translation:
    http://translate.google.com/translate?js=n&prev=_t&hl=fi&ie=UTF-8&layout=2&eotf=1&sl=fi&tl=pt&u=http%3A%2F%2Fwww.uusisuomi.fi%2Fulkomaat%2F111481-yle-portugalin-ex-presidentti-haukkuu-suomen-%25E2%2580%259Dkaapiot%25E2%2580%259D

  • Germano MadeiraResponder

    Apontamento ao escrito pelo Sr. Helder Fernandes

    Na óptica da ideologia e pragmatismo salazarista a invasão da Finlândia pela Rússia na Guerra de Inverno iniciada em 30 de Novembro de 1939 foi com certeza uma excelente oportunidade para o regime salazarista demonizar mais uma vez ameaça comunista. A propaganda do regime contra o perigo vermelho naturalmente e com sabedoria incitou o auxílio que o pacífico e bondoso povo português de imediato disponibilizou para os oprimidos pelo comunismo.
    A Igreja apaniguada do regime e a maquina escolar do ministério do ensino não podiam senão colaborar com a ideologia do governo instigando e recolhendo os géneros, roupa e utensílios que a nobre generosidade do povo português ofereceu aos finlandeses. Sem o apelo salazarista e os sermões lançados do púlpito como teriam os incultos e isolados portugueses do interior “quase todos invariavelmente pobres, analfabetos, oprimidos e infelizes” podido corresponder à aflição dos finlandeses?
    Não foi certamente o aparelho antifascista clandestino do partido comunista português quem solicitou a solidariedade do povo para com a Finlândia. A sua incondicional fidelidade às práticas do regime comunista soviético não lhe consentiram estados de espírito respeito desta conquista de um Estado soberano. Por isso o povo de “cidades, vilas e aldeias de Portugal, agricultores, operários e estudantes” correspondeu no seu impulso de solidariedade ao apelo do regime salazarista, “ditadura cruel e fascista”.

  • AnteroResponder

    Provedor. O IMTT está a fazer uma interpretação restritiva da lei e a retirar direitos aos cidadãos e só pode faze-lo se infringirem as regras de transito, alterarem a morada etc. As datas devem ser comulativas ou 50, 60, 65, 70 e de dois em dois anos a partir daí ou a validade constante no titulo. Vejam o parecer do provedor de justiça. Os cidadãos a quem são retirados direitos devem ser notificados e dado um prazo atraves de notificação para renovarem automaticamente a carta. Até por questões económicas pois paralizava muitas actividades deve ser dado um prazo maior para resolverem os casos.
    Atenção o IMTT não quer retirar direitos a ninguem. Quem nunca teve multas, acidentes ou retirada de pontos sera renovada automaticamente e aplicada a nova validade nos termos da lei.

Deixe um comentário

O seu email não vai ser publicado.