Há 15 meses que as exportações não cresciam tanto

O INE informa através das Estatísticas do Comércio Internacional de setembro de 2016 que há 15 meses que as exportações não cresciam tanto. É preciso recuar até junho de 2015 para encontrar um mês em que as exportações de bens tivessem crescido acima dos 6,6% registados em setembro de 2016. As importações cresceram também, mas um ritmo mais modesto (1,9%) desacelerando fortemente depois de terem desaparecido alguns efeitos atípicos em agosto.

 

Saldo da balança comercial melhora significativamente em setembro

É preciso recuar a julho desse mesmo ano para encontrar um ritmo de crescimento das exportações acima do das importações tão significativo: em setembro as exportações cresceram mais 4,7 pontos percentuais do que as importações (5,4 pontos percentuais em julho de 2015).

 

Estatísticas do Comércio Internacional de setembro de 2016

Estatísticas do Comércio Internacional de setembro de 2016 Gráfico construído tendo por base dados do INE

Excluindo as exportações e importações de combustíveis a evolução de setembro continua a revelar uma melhoría da taxa de cobertura com as exportações a aumentarem 7,8% e as importações a crescerem 3,6%: Note-se que as exportações aceleraram ligeiramente face aos 7,2% de variação homóloga registada em agosto, enquanto as importações desaceleraram face aos 13,1% de agosto. Recorde-se que a importações de aeronaves está a inflacionar as importações de agosto, efeito que agora desaparece.

Do lado das exportações de setembro, o INE destaca também um efeito atípico e que não se deverá manter e que estará a inflacionar, em alguma medida, o volume global, em concreto, foi registada neste mês a venda de aviões F16 por parte do Estado português. O impacto líquido deverá rondar os €70 a €80 milhões segundo notícias recentes.

Note-se contudo que, em setembro de 2016, todas as categorias registaram aumentos face a setembro de 2015, nas exportações. A única exceção ocorreu na categoria de Combustíveis e lubrificantes (-10,1%). O INE refere que: “Os maiores aumentos verificaram-se nos Bens de consumo (+15,5%), Produtos alimentares e bebidas (+12,3%) e Máquinas e outros bens de capital (+10,8%). De salientar ainda em setembro de 2016, o crescimento anormalmente elevado da categoria Outro material de transporte (+79,8%), devido fundamentalmente à exportação de aviões militares para a Roménia.

Com estes dados, verifica-se que o défice da balança comercial de bens diminuiu em €172 milhões em setembro face ao período homologo, tendo-se fixado nos €921 milhões.

O INE informa ainda que “o défice da balança comercial excluindo os Combustíveis e lubrificantes situou-se em 616 milhões de euros, menos 136 milhões de euros que no mês homólogo de 2015.

Tagged under:

Deixe um comentário

O seu email não vai ser publicado.