A especulação imobiliária está de volta?

Correção de preços? Regresso dos movimentos especulativos no imobiliário? Para já o que é certo é que a tendência ascendente das avaliações bancárias surge confirmada e reforçada pelos dados mais recentes divulgados pelo INE e as avaliações bancárias sobem claramente acima da inflação em todas as regiões do país. Em maio, a variação homóloga foi de 3,1% acelerando face aos 2,6% de incremento registados no mês anterior.

O aumento dos preços é transversal e está bem acima da evolução da inflação contido é muito mais pronunciado em algumas regiões, em particular na Área Metropolitana de Lisboa como se pode constatar no gráfico (incremento homólogo de 6,1% em Lisboa face aos 3,1% nacionais). Os Dados do INE permitem uma análise mais fina por NUTS III e tipo de alojamento vendido, por exemplo. O INE destaca, entre outros, que

“Quando comparado com o período homólogo, o valor médio de avaliação bancária dos apartamentos no total do País registou um acréscimo de 4,4% (variação de 4,8% em abril). A Área Metropolitana de Lisboa, com uma taxa de variação de 7,1%, deu o contributo mais relevante para a variação observada no total do País para este segmento.”

O dinamismo do sector imobiliário está a aumentar trazendo pro arrasto a construção civil sinalizando-se com estes dados que as preocupações quanto ao equilíbrio do modelo de negócio bancário devem ser escrutinadas com particular cautela para se evitar a repetição de problemas passados. Este é um setor que merece ser acompanhado com redobrada atenção.

Variação Homóloga das Avaliação Bancárias - 2012 - 2015

Variação Homóloga das Avaliação Bancárias – 2012 – 2015

Tagged under:

2 Comentários

  • Bruno Cunha Responder

    Orientem-se lá a escrever. Estão a escrever em abortês e mal escrito ainda por cima. Ou escrevem em português correcto ou em abortês. Se forem inteligentes escrevem em português correcto.

    • Mapari Responder

      Tem algum crítica concreta a alguma palavra mal escrita? Teríamos gosto em corrigir. Seguimos a norma ortográfica em vigor desde 2011.

Deixar uma resposta