Desequilibrios da balança comercial continuam a diminuir

Os dados hoje divulgados pelo INE sobre comércio internacional apontam para uma aceleração do aumento das exportações e das importações, tendo-se verificado, na prática, um menor desequilíbrio da balança comercial dado que a taxa de cobertura das importações pelas exportações continua a aumentar. Neste momento, exportamos 67,2€ para cada 100€ que importamos. Há um ano, no mesmo trimestre, exportávamos 62,6€ por cada 100e de importações de bens.

A nossa balança comercial continua muito mais equilibrada quando consideramos apenas os parceiros extra-comunitários (taxa de cobertura de 73,2% que compara com 65,5% para o comércio intracomunitário). Contudo, as relações comerciais com os países da União Europeia, ainda que tenham descido marginalmente de relevo no último trimestre, continuam a representar 76,3% do peso do comércio externo, representando 81,3% do défice da balança comercial. Adicionalmente, se considerarmos as nossas transacções com os países não incluidos na União e destas substrairmos os Combustíveis e lubrificantes, verificamos que temos um superavite traduzido na exportações de 111,5€ por cada 100€ de bens importados. Outro número interessante é o que nos diz que o peso do comércio de combustíveis e lubrficantes no total do comércio extracomunitário tem vindo a cair, principalmente à custa de menores ritmos de crescimento deste tipo de bens face ao dinamismo de outros. Assim enquanto em 2010 so combustíveis e lubrificantes representavam 32,8% do total de transacções ocorridas com países externos à União, em 2011 esse indicador caiui para 30,2%, sempre tomando por referência, exclusivamente, o trimestre terminado em Fevereiro de 2011.

Em termos globais, tmos então as exportações a crescer 21,7% e as importações 13,4% no trimestre terminado em Fevereiro face a igual período de 2010. O mês de Fevereiro dá sinais ainda mais animadores dado que o diferencial entre as variações homólogas das exportações e das importações é ainda maior em benefício das primeiras, tendo as exportações crescido 21,1% e as importações 8,1% face a Fevereiro de 2010.

Esperemos que o cenário se mantenha animador na frente do comércio externo. Continuar a ganhar esta batalha não nos fará mal nenhum.

Tagged under:

Deixe um comentário

O seu email não vai ser publicado.