Depósitos a prazo: actualização da base de dados concluída

A generalidade das instituições financeiras subiu as taxas de juro para quase todos os prazos, com raras excepções. Ainda assim a subida poderá não ser suficinete para compensar a subida de preços esperada…

Com excepção do Finibanco que deverá estar em processo de fusão com o Montepio Geral e para o qual tivemos dificuldades em aceder à respectiva página na internet, concluímos a actualização das taxas de juro de depósitos a praz0 (clique aqui para aceder à página especializada) que estão neste momento em vigor. Voltaremos a repetir este exercício dentro de cerca de um mês ou quando recebamos indicações de desactualização que julguemos relevantes. Poupar é uma das necessidades para o preparar um melhor futuro; os depósitos a prazo são uma das alternativas.

Note porém que muito poucos depósitos a prazo estarão a oferecer uma taxa de juro que compense a inflação esperada. A última estimativa do Banco de Portugal aponta para uma inflação em 2011 de 3,6% logo, se à taxa de juro bruta descontar os 21,5% de taxa liberatória de IRS verificará que é quase impossível obter retorno real positivo, só nominal. Contudo, não aplicar as poupanças poderá representar uma perda ainda maior… e claro, a taxa de inflação determinada pelo INE poderá não ser exactamente a que se lhe aplica.

Bons negócios!

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.