Salário Médio do Presidente Executivo é 26 vezes o de um colaborador

O Jornal de Negócios não esperou pela divulgação dos relatórios e contas e relatório de Governo das Sociedades de todas as empresas de direito português cotadas na Euronext Lisboa (pouco menos de 50), nem tãopouco esperou pelos dados das 20 do PSI 20 e começou a fazer contas com as 16 (ou 17?) já conhecidas. Os detalhes estão na edição em papel de hoje mas fica aqui um parágrafo interessante divulgado como aperitivo no online:

“(…) Cada trabalhador das 17 empresas em análise recebeu, em média, 39 mil euros ilíquidos no ano passado, valor que se pode traduzir num ordenado bruto mensal de 2,8 mil euros. O seu salário anual médio é 18 vezes inferior à remuneração de um administrador executivo das cotadas, que ganhou, em média, 706 mil euros no ano passado, valor que corresponde a uma média mensal bruta superior a 50 mil euros. (…) Se a remuneração considerada for a do presidente executivo, o número de anos aumentaria para 26.”

Um leque salarial medio de 26 vezes é algo que merece reflexão – particularmente tendo por limite inferior um valor bem acima do salário médio nacional. Não há ninguém que se lembre da Finlância ou da Suécia por estes dias?

Tagged under:

2 Comentários

  • Pingback:Economia & Finanças

  • António LelloResponder

    Não tenho palavras cordatas e não ofensivas para comentar valores tão díspares entre o vencimento de um executivo top e a média do salário de um trabalhador qualificado (digamos a meio da tabelas) nas empresas cotadas na Bolsa.
    O Governo PS tão rigoroso na contenção do défice, congelando os salários dos funcionários públicos não tuge nem muge perante estas discrepâncias. Pudera quanto maior for o salário, mais desconta para o IRS. Mas pode acontecer que o feitiço se vire contra o feiticeiro e o IRS desses senhores de altos cargos, não chegue a entrar nos cofres do Estado. Não é Sr. António Carrapatoso em que o Fisco deixou prescrever o IRS em dívida de milhões de euros!!!
    Eu não acredito nem um bocadinho na seriedade e honestidade desses gestores. Só gostam de olhar para a sua barriga e não têm capacidade de ver o que acontece à sua volta. Cada vez mais o rei vai nu neste país.
    Sr. Sócrates (efectivamente não sei se é engenheiro), mas para o caso tb não interessa, por que razão não aplica aos membros do seu Governo uma redução de 20 % aos vencimentos de todos os membros do seu Governo para dar o exemplo da famigerada contenção. Não acha que o apertar do cinto deve ser para todos. Pelo menos seria mais honesto de sua parte. Note-se que esta medida já foi aplicada em um ou dois países da C.E….

Deixe um comentário

O seu email não vai ser publicado.