O que fazer se o seu nome aparecer na Central de Responsabilidade de Crédito? (act.II)

[wp_ad_camp_1]

Recebemos algumas perguntas de leitores sobre como podem limpar o seu bom nome ou da sua empresa caso este passe a constar da Central de Responsabilidade de Crédito. Algo que parece poder acontecer por escassos euros em dívida ou em pretensa dívida, tomando por bons os relatos dos nossos leitores. Recorde-se que se o seu nome ou da sua empresa constar da Central de Responsabilidade de Crédito poderá ver inviabilizado o recurso a qualquer forma de financiamento bancário.

Procurando uma solução, em particular para dirimir conflitos e poder disputar uma acusação de incumprimento, encontrámos no sítio do Banco de Portugal, mais concretamente no Portal do Cliente Bancário, um conjunto importante de esclarecimentos sobre o tema que recomendamos vivamente. Destacamos em particular as seguintes perguntas/respostas:

Verifiquei que existe informação errada no meu mapa de Responsabilidades de Crédito. Devo solicitar a correcção ao Banco de Portugal?

 

Se detectar erros, omissões ou desactualizações na sua informação, deve dirigir-se directamente à instituição que a transmitiu ao Banco de Portugal e solicitar a sua correcção e/ou actualização. Os dados recolhidos pela CRC e divulgados ao sistema financeiro são da exclusiva responsabilidade das instituições que os transmitem ao Banco de Portugal, não cabendo a este proceder a qualquer alteração desses dados. A alteração dos dados recebidos só se concretiza quando comunicada pela entidade que os tenha transmitido.

Como são feitas as alterações/ rectificações junto do Banco de Portugal?

Sempre que uma entidade participante verifique ter havido omissão ou lapso em qualquer comunicação de responsabilidades passada ou presente, fica obrigada a proceder à conveniente rectificação, remetendo, para o efeito, as necessárias comunicações ao Banco de Portugal. O Banco de Portugal divulga, em regra, quinzenalmente, às entidades participantes, as rectificações à informação centralizada dos meses activos sobre beneficiários por elas anteriormente comunicados. Estas rectificações abrangem informação recebida após a distribuição das respectivas centralizações.

Naturalmente, acrescentamos nós que, se a instituição financeira não se comportar à altura, pode sempre apresentar uma reclamação junto do Banco de Portugal ou recorrer ao Mediador de Crédito.

GOSTOU DO QUE LEU?
Então não perca nenhum dos nossos artigos.
Receba um EMAIL diário com os resumos:


Artigos Relacionados

Top