Qual a remuneração média em cada uma das 20 atividades económicas em Portugal – 2022?

Com a disponibilização, ao INE, do acesso aos dados das Declarações Mensais de Remunerações remetidos por todas as empresas nacionais à Segurança Social, passa a ser possível ter, trimestralmente, uma imagem real que permite atualizar a resposta à pergunta: “Qual a remuneração média em cada uma das 20 atividades económicas em Portugal“.

No caso deste artigo, apresentamos a fotografia disponibilizada pelo INE relativa ao trimestre terminado em setembro de 2022, ou seja, ao terceiro trimestre de 2022.

A análise da tabela que se segue deve ser cautelosa no sentido em que, sem mais contexto, não permite grande extrapolações, pois há diversas dimensões que caracterizam cada uma destas 20 classes de atividade económica.

Sublinhamos apenas, em termos exploratórios, que são CAE (classificação das Atividade Económicas) onde há maior força de mercado do lado dos trabalhadores (como a área de desenvolvimento informático, restauração e alojamento, educação ou construção civil, para citar apenas algumas) que se registam as menores reduções de salários reais. E é nas grandes empresas, em especial no Estado, eventualmente por os trabalhadores terem menos poder de mercado, terem salários-base relativamente mais elevados e sindicatos ou movimentos reivindicativos incapazes, ou pouco ativos, que tem existido maior perda de poder de compra.
Resta saber como evoluirá a situação.

Durante o ano de 2023 procuraremos voltar a este tema tirando outra fotografia.

Apesar de não se poder ir além da especulação, ainda assim, como peça para uma análise mais ambiciosa, faz todo o sentido destacar esta informação.

Remuneração média em cada uma das 20 atividades económicas em Portugal – setembro de 2022

Atividade económica  (CAE-Rev. 3)Número de trabalhadores (milhares)Remuneração bruta total média por trabalhador (€)Remuneração bruta regular média por trabalhador (€)Remuneração bruta base média por trabalhador (€)
Total4 480,91 170 990 930
A – Agricultura, produção animal, caça, floresta e pesca 101,7 773 648 629
B – Indústrias extrativas 8,91 4951 197 984
C – Indústrias transformadoras 701,81 174 915 869
D – Electricidade, gás, vapor, água quente e fria e ar frio 10,82 4152 2492 084
E – Captação, tratamento e distribuição de água; saneamento, gestão de resíduos e despoluição 37,71 030 910 842
F – Construção 322,0 930 765 735
G – Comércio por grosso e a retalho; reparação de veículos automóveis e motociclos 694,61 073 867 820
H – Transportes e armazenagem 182,21 4091 141 940
I – Alojamento, restauração e similares 344,1 807 677 658
J – Atividades de informação e de comunicação 153,21 9221 6201 506
K – Atividades financeiras e de seguros 85,02 0161 8931 531
L – Atividades imobiliárias 52,61 037 874 852
M – Atividades de consultoria, científica, técnicas e similares 215,81 4181 2001 148
N – Atividades administrativas e dos serviços de apoio 365,9 813 648 614
O – Administração Pública e Defesa; Segurança Social Obrigatória 405,81 2861 2231 114
P – Educação 256,31 7061 5951 579
Q – Atividades de saúde humana e apoio social 407,81 119 958 918
R – Atividades artísticas, de espectáculos, desportivas e recreativas 45,31 162 975 926
S – Outras atividades de serviços 84,7 970 830 804
U – Atividades dos organismos internacionais e outras instituições extra-territoriais 1,51 8291 6261 600
Fonte: Estatísticas do Emprego, 3º trimestre de 2022, INE, Trimestre terminado em setembro de 2022.

Em alternativa pode consultar a imagem que se segue.

Fonte: INE

Sem prejuízo do que se escreve no penúltimo parágrafo deste artigo, deixamos aqui este excerto do INE sobre a definição mais abrangente de remuneração que surge na tabela:

A remuneração bruta mensal média por trabalhador corresponde ao rácio entre o somatório do volume de remunerações pago pelas empresas e o total de trabalhadores nessas empresas.

Por essa razão, a sua evolução reflete variações no volume das remunerações pagas (como, por exemplo, o pagamento de bónus, de subsídio de férias ou de trabalho suplementar), mas também no número de trabalhadores e na sua composição, sobretudo em termos de características não observadas nesta base de dados (a tempo parcial vs. a tempo completo; nível de escolaridade; profissão; anos de experiência; horas trabalhadas; entre outras).

INE, Destaque “REMUNERAÇÃO BRUTA MENSAL MÉDIA POR TRABALHADOR – setembro de 2022”, Novembro de 2022

Como complemento indicamos ser possível consultar as definições precisas de cada uma das tipologias de remuneração no sítio do INE, nomeadamente nas últimas páginas desta publicação (ligação para descarregar um ficheiro de formato PDF).

Para uma análise um pouco menos fotográfica pode ler “Remunerações reais até ao terceiro trimestre de 2022 caíram 4,7%. No Estado queda atingiu os 6,5%“.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *