Emprego público recupera em 2019

Segundo os dados relativos ao quarto trimestre de 2019 divulgados pelo Departamento de Informação da Organização do Estado e do Emprego Público da DGAEP  na sua Síntese Estatística do Emprego Público o emprego público recupera em 2019 mas mantém ainda abaixo do nível de 2011.

Em dados mais concretos, havia no final de 2019 um total de 698.522 indivíduos a trabalhar para o Estado sob a forma de vários contratos.

Este número traduz-se também num aumento de 2,2% face ao idêntico período de 2019 e numa redução de 4% face ao contingente de emprego público que existia em 2011, antes do pico da última crise.

Destes quase 700.000 empregados, 527.766 estavam integrados na Administração Central, 159.933 na Administração Regional e Local e 10.823 enquadrados por Fundos da Segurança Social. Ou seja, cerca de 3 em cada 4 indivíduos que trabalham para o Estado estão incluídos na Administração Central.

Destaque-se ainda que do total de empregos 74.312 eram contratos a termo dos quais 66.687 se referiam a empregos na Administração Central.

 

Como evoluíram as remunerações?

A evolução recente das remunerações encontra-se bem documentada na síntese e é desta que extraímos o seguinte excerto:

“Em outubro de 2019, o valor da remuneração base média mensal dos trabalhadores a tempo completo no sector das
administrações públicas situava-se em cerca de 1 501,3€, correspondendo a uma variação global média de 0,6% em relação ao
mês de referência do trimestre precedente (julho 2019); e, a uma variação homóloga de 2,2%, por efeito essencialmente da
atualização do valor da remuneração base praticada no sector, que passou a ser igual ou superior a 635,07€, bem como do
processo gradual de descongelamento de todas as carreiras. O impacto desta última medida teve maior efeito nas carreiras de
enfermeiro e de técnico de diagnóstico e terapêutica, com variação positiva em relação a outubro de 2018 de 7,8% e 5,9%,
respetivamente; por outro lado, a carreira de pessoal de investigação científica apresentou uma variação negativa de 18,9%
em resultado dos movimentos de entrada e saída de trabalhadores com diferentes níveis remuneratórios (entrada de novos
trabalhadores em níveis remuneratórios na base da carreira).
O ganho médio mensal nas administrações públicas é estimado, para outubro de 2019, em 1 760,0€, indiciando uma variação
global no trimestre de 0,6%, e uma variação homóloga de 2,4%, pelos mesmos motivos referidos para a remuneração base
média mensal .”

Tagged under:

Deixar uma resposta