Aumento da Pensão de Alimentos para 2018

Sendo certo que  não há uma regra fixa para o aumento da pensão de alimentos – até porque pode ser definido um critério específico pelo tribunal em cada caso – a prática mais comum é usar a evolução da inflação, sempre que este seja positiva, para atualizar o valor e determinar o aumento da pensão de alimentos em cada ano.

 

Qual o aumento da Pensão de Alimentos para 2018?

 

Usar a inflação de 2017

Considerando o que acima se escreveu quanto ao uso da evolução da taxa de inflação (taxa de variação media anual do índice de preços no consumidor apurado pelo INE no final de cada ano) e sendo já conhecido o valor da taxa de inflação verificado em 2017, 1,4%, calcular o aumento da pensão de alimentos para 2018 é fácil.

Bastará multiplicar o valor da pensão de alimentos em vigor em 2017 por 1,013 (note que não é uma percentagem). Desta forma o valor que resultar do cálculo já será o novo valor da pensão de alimentos aumentado em 1,4%.

Na prática de uma pensão de alimentos de €500 em 2017 passaremos para 500*1,014 ou seja €507.

 

Usar a previsão da inflação para 2018

Se quiser usar como critério, não a inflação verificada no ano anterior, mas a previsão da inflação para 2018, então terá vários número à escolha pois cada instituição apresenta a sua estimativa de inflação que são, tipicamente, sempre um pouco diferentes. E não só são diferentes entre si como vão sendo revistas ao longo do ano, à medida que se vão conhecendo dados reais da evolução dos preços.

No início de 2018, uma das hipóteses é seguir a taxa de inflação prevista pelo governo no Orçamento do Estado para 2018 (ver em “Atualização da previsão da Inflação para 2017 e 2018“) e que condicionou alguns dos aumentos de impostos e prestações sociais aprovados, em concreto, o governo estima que a inflação em 2018 seja de 1,4%. Um valor que, curiosamente, é exatamente igual à inflação o registada ao longo de 2017 segundo os dados oficiais do INE divulgados 11 de janeiro de 2018.

O Banco de Portugal, em meados de dezembro de 2017 reviu as suas previsões macroeconómicas e para um indicador muito parecido com a taxa de inflação (o índice de preços harmonizado no consumidor) antecipou que os preços crescessem 1,5%, mais uma décima do que na estimativa do governo.

Se pretender usar o valor do Banco de Portugal terá de multiplicar a pensão de alimentos atual por 1,015.

 

Como se vê, use-se a inflação de fecho de 2017 ou uma das previsões de inflação para 2018, a diferença no valor do aumento da pensão de alimentos para 2018 é marginal ou mesmo nula, pelo que é praticamente indiferente o critério escolhido.

Continuaremos a acompanhar os temas referentes à pensão de alimentos nomeadamente os de incidência fiscal, em próximos artigos.

 

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.