Empréstimos bancários mais baratos para as empresas – novembro 2017

Foram vários os tipos de novos empréstimos bancários às empresas que registaram uma descida significativa entre outubro e novembro de 2017.

 

Taxas de juro caiem mais nos grande empréstimos

Estes dados, divulgados pelos Banco Central Europeu e relativos a Portugal e aos restantes países da Zona Euro revelam que nos empréstimos de curta duração (até uma ano) a taxa média de juro caiu 0,27 pontos percentuais num único mês, fixando-se nos 2,58%.

Ainda assim, muito acima das exigidas para empréstimos comparáveis às empresas em Espanha (1,97%) e na Alemanha (1,32%). Em todo o caso, o diferencial reduziu-se.

A redução das taxas de juros dos novos empréstimos às empresas portuguesas prestados por bancos a operar me Portugal diminuiu de forma mais expressiva para empréstimos acima de 1 milhão de euros. De facto, a taxa média de juro para este tipo de novos empréstimos caiu de 2,37% em outubro de 2017 para 2,05% em novembro do mesmo ano. Uma queda de 0,32 pontos base que compara com uma queda de 0,24 pontos base (para 2,58%) que se registou para o conjunto global de todos os novos empréstimos às empresas contratados em novembro de 2017 por comparação com o mês anterior.

O prémio de risco cobrado às empresas portuguesas face às suas concorrentes na zona euro continua a ser um fator que, logo à cabeça, lhes retira competitividade mas tem vindo a diminuir.

 

Margem entre taxas de juro é mais do dobro que na Alemanha

Quando ao negócio bancário, a taxa de juro média para novos empréstimos em novembro de 2017 de 2,58% compara com uma taxa de juro média para novos depósitos a prazo no mesmo mês de 0,33% o que produz uma margem comercial de 2,25 pontos percentuais, margem essa que é mais do dobro da registada na Alemanha e 0,40 pontos percentuais acima da registada em Espanha.

Esta análise seguiu de perto a síntese estatística de conjuntura do GEE do Ministério das Economia que pode ser subscrita livremente

Tagged under:

Deixe um comentário

O seu email não vai ser publicado.

NOS