Crescimento das Exportações Supera o das Importações – Fevereiro 2017

Cinco meses depois, e ainda que por apenas uma décima, o crescimento das exportações supera o das importações. Sempre que isto acontece, a balança comercial aproxima-se um pouco de uma situação de maior equilíbrio.

Segundo dados do INE, em fevereiro de 2017, as exportações de bens aumentaram 9,0% face ao mesmo mês de 2016 enquanto que as importações aumentaram 8,9%. O número menor de dias úteis em fevereiro de 2017 face a fevereiro de 2016 e o efeito exatamente oposto no mês de janeiro, ajudarão a explicar porque é que entre janeiro e fevereiro, tanto as exportações como as importações desaceleraram (as exportações haviam crescido 19,1% e as importações 22,4% em janeiro de 2017, pela mesma ordem). Ainda assim, considerando os dois primeiros meses do ano, é evidente um crescimento muito significativo do comércio de bens. E se fecharmos a análise no trimestre terminado em fevereiro, obtemos isto:

“No trimestre terminado em fevereiro de 2017, as exportações aumentaram 13,3% e as importações 14,7% face ao período homólogo (respetivamente +12,9% e +14,7% no trimestre terminado em janeiro de 2017).”

Excluindo o impacto dos combustíveis na balança comercial, verifica-se que as exportações cresceram 5,5% e as importações aumentaram 4,0% em fevereiro (respetivamente +16,6% e +15,1% em janeiro de 2017). Ou seja, neste caso, reforça-se o diferencial positivo no ritmo de crescimento das exportações face às importações.

Quanto ao detalhe do que está a ser exportado e importado sugerimos os seguintes excertos do INE:

“Nas exportações de bens, em fevereiro de 2017 todas as grandes categorias económicas registaram aumentos face ao mês homólogo de 2016, destacando-se o acréscimo verificado nos Combustíveis e lubrificantes (+79,8%), essencialmente Produtos transformados.

Em fevereiro de 2017, apenas as importações de Bens de consumo diminuíram em relação ao mesmo mês de 2016. Tal como nas exportações, evidencia-se claramente o aumento das importações de Combustíveis e lubrificantes (+63,0%), sobretudo Produtos primários.

(…)

Em fevereiro de 2017, tendo em conta os principais países de destino em 2016, apenas três países registaram reduções nas exportações em comparação com o mesmo mês de 2016: Alemanha, Bélgica e Países Baixos. Nos restantes principais países verificaram-se aumentos, salientando-se os crescimentos das exportações para Espanha, Estados Unidos e Angola (+10,0%, +53,5% e +61,1%, respetivamente).

Nas importações, em fevereiro de 2017 e no âmbito dos maiores países fornecedores em 2016, o maior destaque vai para o acréscimo registado nas importações com origem na Rússia (justificado pela importação de Óleos brutos de petróleo e Fuelóleo), seguindo-se as importações provenientes de Espanha e Alemanha.

Com a difusão dos dados mensais de fevereiro de 2017, o INE apresenta ainda os dados definitivos do ano de 2016. Destacamos o seguinte parágrafo:

Em 2016 as exportações de bens aumentaram 1,0% e as importações de bens cresceram 1,3% face ao ano anterior. O mercado espanhol foi o que mais contribuiu para o aumento global das exportações, enquanto nas importações foi a Rússia, devido à aquisição de combustíveis. Em termos dos bens transacionados, em 2016 destaca-se o aumento das exportações de Bens de consumo e das importações de Material de transporte. Em sentido contrário, continuaram a registar-se reduções significativas nas transações de combustíveis. Efetivamente, excluindo os Combustíveis e lubrificantes, as exportações atingiram um crescimento de 2,5% e as importações de 4,9%.

Pode encontrar mais informação no sítio do INE.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.