Sucedem-se os problemas de acesso ao Portal das Finanças

Pelo menos desde o passado dia 19 de maio em que esteve agendada uma intervenção no Portal das Finanças que o colocou indisponível nesse dia, têm-se sucedido ao longo da semanas as dificuldades de acesso ao Portal surgindo a inevitável mensagem de erro “Por motivos de ordem técnica não nos é possível responder ao seu pedido.

A instabilidade no acesso à plataforma, coincidindo com o final de prazo para o cumprimento de várias obrigações fiscais ameaça o devido cumprimento das mesmas e introduz um factor adicional de entropia e sobre-custo a instituições e pessoas que tarda em ser debelado.

Ano após ano situações similares sucedem-se. Na maioria das últimas experiências que realizamos, o acesso ao sítio tem sido possível, bem como a alguns menus de topo, contudo, as tentativas de acesso a informação concreta e/ou a declarações revela-se impossível.

Tagged under:

6 Comentários

  • Nuno José Responder

    Quem tem declarações a entregar seja inteligente e use as ferramentas offline, que passam ao lado do site.

  • Jose Antonio Responder

    Snr. Nuno José
    Sou Tecnico de Contas e tenho tido grandes dificuldades em aceder ao site
    e entregar declarações, ainda no dia 25 para submeter as facturas este encontrava-se indisponível neste menu às 23.30.
    Pelo que percebi o Snr. sabe da matéria solicitava que me esclarecesse. como se entregam as declarações offline.
    Cumpts

  • Luis Costa Responder

    Caro Nuno José,
    Para usar as ferramentas on-line primeiro é preciso fazer o downloud e se este estiver indisponivel, nada feito; e de que me vale ter as ferramentas on-line se depois ao enviar obtemos a famosa frase:
    “Por motivos de ordem técnica não nos é possível responder ao seu pedido.“
    Não é tão facil quanto parece…

  • Antonio Mota Responder

    Off line, quando se tenta enviar dá a mesma mensagem de erro ou dá uma outra mensagem tb de erro. Não esquecer que para se enviar por vezes tem de se consultar declarações entregues anteriormente e isso é impossível.

  • Antonio Paiva Responder

    O melhor que se tem a fazer, é ir pessoalmente ás Finanças entregar toda a papelada

Deixar uma resposta