A lei devia definir em quantas vezes o salário do empregado mais bem pago pode superar o do mais mal pago numa empresa?

Este tema da limitação do leque salarial (quantas vezes mais pode o mais bem pago receber do que o mais mal paga numa da empresa) ganhou projeção recentemente perante uma proposta de limitação concreta que foi referendada na Suiça. E por cá, o que pensam os nossos leitores? Não colocamos um limite específico mas procuramos avaliar a opinião sobre o tema. Que lhe parece? Participe.

A lei devia definir em quantas vezes o salário do empregado mais bem pago pode superar o do mais mal pago numa empresa?

Tagged under:

6 Comentários

  • JQResponder

    Embora pertinente penso que as opções de escolha estão mal formuladas. Deveria ser apenas Sim e Não. O depende é um “Sim” um pouco mais detalhado, e portanto apenas deveria ser discutido se eventualmente o “Sim” geral fosse o vencedor. Como está actualmente, muitos “Sim” serão “Depende” e a análise irá ficar inquinada!

    • MapariResponder

      É sempre complicado definir, mas o ponto que faz podia-se fazer exatamente ao contrário. Forçar o sim ou o não sem admitir que a resposta é condicional podia igualmente distorcer as respostas. No final com 3 opções teremos mais informação e não emnos e cada um poderá decidir se está inquinada ou não. Quem não admitir mexer administrativamente responderá sempre não. Os que admitem vão-se destacar entre alguns mais radicais que acham que é um bem em si limitar-se as diferenças e os que acham que pode ser bom ou mau dependendo dos limites impostos.

  • Carlos OliveiraResponder

    É um princípio fundamental, e que deveria ser introduzido na legislação. A Suiça está um passo à frente.
    Em Portugal, é fácil de ver que a questão iria ser ultrapassada com dificuldade, bastaria criar uma sub-empresa no grupo e colocar aí todos os trabalhadores de salários baixos. Já para não falar da contabilização das regalias como despesas de representação e/ou seguros.
    Era preciso sim uma mudança de mentalidade e aumento da transparência, pelo que qualquer alteração vai no bom sentido.

  • Tomé GilResponder

    Da minha experiência profissional de maios de 40 anos, dos quais muitos em funções de topo empresarial entendo ser de referir não o salário mas o custo total para a empresa. Assim o “leque” poderá ser fixado à volta de 20 ou mesmo 25 vezes.

  • RCSResponder

    Na Suiça, o resultado do referendo sobre este assunto foi NÂO.

    • MapariResponder

      Sim, com um múltiplo de 12 vezes. Ou seja, em Portugal para um salário mínimo de €485 o salário máximo seria de €5820.

Deixe um comentário

O seu email não vai ser publicado.

NOS