O que é e como se calcula a taxa de variação homóloga?

Como se calcula a taxa de variação homóloga? Segundo o INE (ver notas no final do documento):

Taxa de variação homóloga
A variação homóloga compara o nível da variável em estudo entre o período de referência corrente e o mesmo período do ano anterior.

A evolução desta taxa de variação está menos sujeita a oscilações de natureza sazonal podendo, no entanto, ser influenciada por este tipo de efeitos localizados num período específico.

Por exemplo, se em Dezembro de um ano pagava 50€ pela fatura da eletricidade e um ano depois pagou 60€, a variação homóloga entre os meses de Dezembro desses anos consecutivos foi de 20%, ou seja:

 (60-50)/50*100 = +20%.

 
Ou, em alternativa:

 (60/50 -1)*100 = +20%

Outro exemplo:

No primeiro trimestre do ano 1 venderam-se 3000 automóveis. No primeiro trimestre do ano 2 venderam-se 2500 automóveis. Qual foi a variação homóloga?

(2500/3000-1)*100

Ou seja -16,67%. Por outras palavras, a venda de automóveis registou uma variação homóloga negativa de 16,67%.
Como se diz na definição, a taxa de variação é homóloga quando o período de tempo de referência corresponde ao mesmo momento de dois anos consecutivos, seja ele um mês, um trimestre, um quadrimestre ou semestre.
Se se compararem dois meses consecutivos, por exemplo, janeiro e fevereiro, já não estamos perante uma taxa de variação homóloga mas perante uma taxa de variação em cadeia. A fórmula de cálculo será similar mas utilizará dados de meses consecutivos e não de meses de períodos homólogos.

Tagged under:

Deixe um comentário

O seu email não vai ser publicado.