Fuga recorde nos Certificados de Aforro em Abril 2011: 705 milhões de euros

Nunca num único mês os Certificados de Aforro tinham registado perdas líquidas tão expressivas: 705 milhões de euros. Este valor corresponde sensivelmente ao desinvestimento acumulado registado nos três meses anteriores, ele próprio já muito acima do que vinha sendo habitual.

Como modesta compensação, registou-se uma entrada líquida de 90 milhões de euros em poupança sob a forma de Certificados do Tesouro.

Na prática, desde o início do ano, os portugueses retiraram cerca de mil milhões de euros de títulos da dívida pública.

Naturalmente, isto não são boas notícias para o Estado e, indirectamente, para os seus cidadãos. Esta saída estará a ser mais motivada por falta de confiança no Estado, por necessidade de transformar poupança em consumo ou porque há alternativas mais apetecíveis?

Tagged under:

Deixar uma resposta