A economia das aposta online: qual é melhor, a Bwin ou a Betfair?

Numa semana em que a preparação de legislação que permita ao Estado (aos Estados) receberem uma parte do quinhão das receitas astronómicas que têm vindo a ser recolhidas pelas empresas de apostas online – oferecendo o Estado, de caminho, um serviço de certificação e de regulação do sector – decidimos abordar aqui uma diferença fundamental que encontrámos entre dois modelos de serviços de apostas online existentes.

As apostas online, são campo fértil para a matemática, probabilidade e estatística mas há características de filosofia do negócio igualmente importantes. Tomamos por referência duas das maiores empresas que gerem sistemas de apostas, a Bwin e a Betfair, que têm filosofias de captação de receitas do jogo substancialmente diferentes.

As empresas de apostas não são de  facto todas iguais. Pelo que temos investigado, o modelo seguido pela Bwin parece ser predominante entre outras empresas de apostas. Na prática, o apostador vai ao mercado de apostas sendo-lhe apresentadas as odds (factor pelo qual o valor da aposta será multiplicado em caso de ganhar a aposta). Estas odds são definidas internamente pela empresa que gere as apostas não tendo o apostador acesso à margem de lucro efetiva que está em causa em cada aposta. Internamente, a empresa avalia a evolução do mercado entre procura e oferta e define posteriomente qual a distorção que introduzirá face àqueles que seriam os valores determinados diretamente pelos apostadores se estes estivessem a lidar uns com os outros sem intermediação ao nível das odds.

O que se passa na Betfair? Aqui aproximamo-nos de um mercado puro em que a Betfair oferece a plataforma de contacto entre apostadores e não tem qualquer intervenção no valor das odds que são de facto fixadas. Se é certo que os apostadores continuam a ser anónimos uns para os outros, eles “conhecem-se diretamente” pois vêm as propostas de aposta originais que os outros colocam. Vigor, na prática, um sistema de leilão, muito ao jeito do que se vê numa plataforma de negociação online de acções em mercado regulado.

Como ganha a betfair dinheiro? Cobrando uma taxa fixa e conhecida à partida sobre o valor ganho em todas as apostas registadas. Há ainda lugar à cobraça de uma taxa sobre o montante transferido para conta do serviço no ato do depósito de valores para aposta. Comparando diretamente para as mesmas apostas, a vantagem para os apostadores no sistema da Betfair é sistemática, podendo ocorrer como aquilo que alguns poderão considerar uma característica negativa (e outros nem tanto) situações de arbitragem, ou seja, como não há um broker permanente das apostas mas antes existe um ajustamento inteligente quase automático do mercado, nos momentos em que esse ajustamento não seja “quase automático” é possível sugirem situações em que apostar a favor ou contra, ao mesmo tempo, permita gerar ganhos imediatos. Seguramente que haverá no mercado apostadores dedicados exclusivamente a aproveitar essas falhas, garantindo dessa forma, eles próprios, que essas situações são pontuais.

Em suma, se quer ter uma ideia de como funciona um mercado em concorrência perfeita e quão relevante são situações de divergência ou assimetria de informação na formação dos preços (as apostas não são mais do que preços definidos em mercado aberto, neste caso) o modelo da Betfair é quase perfeito. No caso da Bwin temos a demonstração da opacidade que resulta quase sempre de situações em que o intermediário tem poder para internalizar e condicionar os preços por via de ser o fiel depositário e único conhecedor das licitações efectivamente feitas pelos compradores e vendendores.

Qual é o melhor? Bom, não podemos esquecer que poderá haver mais características ao nível do entertenimento (quantidade de apostas oferecidas, valor mínimo por aposta, etc) que podem justificar diferenças, logo a opinião definitiva caberá sempre a cada um. O sistema da Betfair exige, por exemplo, uma dimesão mínima ou quantidade mínima de apostadores razoável para que o próprio mercado funcione. No caso da Bwin a própria empresa garante em todos os casos (pelo menos naqueles que lhe interessem – e há muitas situações em que as apostas são retiradas momentaneamente de mercado mesmo que continue a haver licitações de compar e venda) que há sempre uma contra parte disposta a fazer negócio, podendo assim aproveitar situações de mercados pouco líquidos.

A nossa muito pessoal é inequivocamente a de simpatizar mais com o serviço da Betfair. É mais fair, mesmo.

Tagged under:

7 Comentários

  • Pingback:Economia & Finanças

  • Pingback:Adufe

  • The DukeResponder

    Nenhum deles. As apostas deviam ser ao cargo de entidades de cariz social, como acontece em Espanha, a ONCE e em Portugal, A Santa Casa da Misericordia.
    Enquanto se aposta nesssas empresas, o lucro vai para algum papalvo, para comprar Ferraris e outras porcarias.
    Enquanto se jogarmos nessas entidades, ao menos o dinheiro é utilizado para um bem social, seja na recuperação de hospitais, lares da 3ª idade, ajudas socias, etc.
    Pena é que alguns otários ainda não tenham percebido isso.

  • Nuno IsidroResponder

    Eu como um apostador de ocasião, tenho conta na Bwin, mas não na Betfair. Por várias vezes, tentei perceber o método de apostas da Betfair e tenho dificuldades em perceber a mecânica do sistema de jogo dessa casa. Acho que é estremamente confuso para um apostador que apenas joga para se divertir e tentar uns “trocos”. Pela ideia que fico, e tendo recorrido a alguns fóruns de referência de apostas, acho a Betfair uma casa para jogadores profissionais, obrigando os clientes a estar permanentemente dedicados aos eventos lá ocorridos e sempre com grandes variações ao segundo. (Não tenho tempo, nem paciência para tanto sofrimento!)
    Por exemplo, eu na Bwin tenho total conhecimento do valor das “ods” e faço o meu tipo de “totobola” com os conhecimentos que tenho sobre as várias modalidades dos diversos países. Como amante do desporto, misturo vários desportos num aposta só e até agora tenho-me divertido e ganho uns belos “trocos”.
    Em concusão, como sou um apostador ocasional, prefiro a segurança da Bwin em relação a esse tipo de casa de apostas (Betfair) que me parece para jogadores altamente dedicados e profissionais
    Abraço e saudações

    • MapariResponder

      O que o Nuno diz dá a entender que a Betfair não oferece essa mesma possibilidade de ser um jogador mais desinteressado. Não é assim. Tudo o que pode fazer na bwin pode fazer na betfair (o tal “totobol” por exemplo) adicionalmente SE quiser ir um pouco mais além e ser mais dedicado e/ou inclusive fazer de broker de apostas também pode. ALgo impossível na Bwin. Eu diria que a única “vantagem” da Bwin é o lustro. O pacote parece mais atrente porque têm uma excelente equipa de marketing. A Betfair também tem mas como a oferta é mais diversificada o pacote também ele direccionado para vários públicos podendo com isso perder o foco mais claro na Bwin.
      Mas repito, quanto ao conteúdo e às possibilidades, na Betfair pode ter todos so jogadores da Bwin, mas o reverso não é verdade.
      Saudações e obrigado pelo seu comentário.

  • HumbertoResponder

    Olá!
    Antes de mais, parabéns pelo excelente artigo!
    Diria que em 99% das vezes na Betfair existem odds que dão melhores lucros que na Bwin. Depois há casos como referi no website, que passo novamente a indicar sure-bets.net que faz mesmo uma comparação de odds em corridas de cavalos entre a bwin e a betfair, permitindo com isso obter lucros garantidos. Que é outra coisa extraordinaria no mundo das apostas!
    Quem quer apostar profissionalmente utiliza sem dúvida a betfair.
    Cumprimentos a todos

  • Pingback:Betfair e Bwin: duas filosofias muito diferentes no mundo das apostas | Economia e Finanças

Deixe um comentário

O seu email não vai ser publicado.