Inside Trading na Euronext Lisboa? (act.)

A Mota -Engil subiu mais de4% na passada sexta-feira. Na altura, num esforço de explicar o inusitado incremento alguns analistas apontaram como explicação o apuramento dos ganhos relativos à IPO sobre a Martifer, que como se sabe, é participada em 50% pela Mota-Engil. Na altura, ainda que não tenha verbalizado, achei estranho  que o valor anunciado não estivesse já interiorizado no valor de mercado do título, afinal a existência de um encaixe substancial era um dado adquirido. Contudo, nestes tempos conturbados poderiamos "simplesmente" estar perante mais um caso de volatilidade, um pedacito de especulação.

Hoje a Mota-Engil subiu quase 8%, 7,73% para ser preciso. Porquê? Porque se anunciou na madrugada de ontem (ver Diário Económico) que a Mota-Engil ganhou um contrato de construção e exploração de uma mina de urânio no Malawi orçando em 168 milhões de dólares.

Hoje, perante esta notícia "bomba" pergunto, genuinamente pergunto, quando é que o contracto foi de facto assegurado? É possível que alguém tenha usado informação privilegiada para encher a carteira de acções da Mota-Engil na Sexta-feira antes de a notícia ser pública?

Tentarei encontrar respostas e se as obtiver darei aqui notícia. Para já, mais uma vez, a Euronext Lisboa está sob suspeição. Eventos ao cuidado da CMVM, naturalmente.

ADENDA: O Diário Económico aponta para a naturalidade do movimento de valorização (ainda que o de segunda-feira tenha sido o maior desde 2001), acrescenta que houve um newsflow (que é como quem diz "muitas notícias positivas") a puxar pelo título e que a Mota-Engil apanhou muita "porrada" com o mini-crash. Pois sim, pois sim, mas a história das bruxas não deixa de me vir à cabeça. De qualquer forma faço fé na CMVM… 

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.