Inflação para 2023 deverá rondar os 5,1% (CFP)

O Conselho de Finanças Pública, na sua atualização às PERSPETIVAS ECONÓMICAS E ORÇAMENTAIS 2022-2026 apresentada a 22 de setembro de 2022, antecipa que inflação para 2023 deverá rondar os 5,1% (IHPC).

Este valor surge na sequência de uma inflação esperada para 2022 de 7,7%.

Inflação para 2023 com a de 2022 equivale a dois salários

No conjunto dos dois anos, os preços no consumidor deverão assim subir cerca de 13,2%.
Para se ter uma ordem de grandeza da inflação, para os salários conseguirem acompanhar estes valores de inflação e manterem o poder de compra, cada trabalhador teria que receber praticamente mais dois meses de salário no final de 2023 (assumindo que recebe 14) face ao que recebia no início de 2022.

Inflação deve atingir metas do BCE em 2024 – dados para Portugal

Para 2024, o CFP antecipa que a inflação abrande significativamente para 2,2% estabilizando em torno de 1,9% em 2025 e 2026.

Naturalmente que quanto maior a distância ao momento real maiores as limitações e precisão das previsões económicas pelo que estes valores a mais de dois ano terão pouca utilidade prática. Ainda assim sem mais choques e surpresas externas, atendendo a que há políticas ativas para tentarem que a inflação ronde os 2%, é uma previsão razoável.

PIB nominal continuará pujante e dívida pública deverá ter queda acelerada até 2026

O crescimento previsto para o PIB Nominal (PIB ao qual não se desconta aqulo que podemo chamar grosseiramente o efeito dos preços) será de 10,9% em 2022 e de 4,9% em 2023 (4,1% em 2024, 3,7% em 2025 e 2026).
Com as contas públicas com um défice público muito contido ou até mesmo a rondar o excedente – o CFP espera que o défice seja nulo ou que haja mesmo excedente até 2026 – o peso da dívida pública no PIB deverá cair muito rapidamente nos próximos anos.

No gráfico em baixo, da autoria do CFP é possível ver o andamento do saldo primário (saldo de receitas e despesas antes de pagar os juros) e o saldo orçamental (já após se pagarem os juros). A menos que haja medidas extraordinária de apoio social, o CFP antecipa que o tempo do défice orçamental poderá ter terminado em 2022.

Fonte: CFP

Juntando toda a informação, o CFP chega à projeção de evolução da dívida pública que a seguir se reproduz. A dívida pública poderá cair para 100,6% em apenas quatro anos.

Fonte: CFP

Consulte aqui mais projeções para a economia portuguesa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.