blank

Inflação sobe mas é a 2ª mais baixa da União Europeia

A inflação homóloga continua a acelerar tendo passado de 1,8% em outubro para 2,6% em novembro face a novembro de 2020. Esta aceleração contribuiu para que a variação média anual do índice de preços no consumidor (IPC) atingisse 1,0%. Com esta aceleração, e assumindo que a inflação em dezembro registe uma variação homóloga pelo menos idêntica à de novembro, o valor final para a taxa de inflação de 2021 seria de 1,2% a 1,3%. Este salto de duas a três décimas num únic mês para aquilo que é uma variação média de 12 meses resultará, tanto da entrada de uma variação homólogo muito alta quanto da saída do registo de dezembro de 2020 onde se registou inflação negativa ou deflação.

Inflação em Portugal: 2ª mais baixa da União Europeia

A nível europeu Portugal registou o segundo aumento de preços mais baixo da União Europeia, apenas em Malta os preços cresceram menos do que em Portugal entre novembro de 2020 e novembro de 2021.

A variação homóloga na União Europeia foi quase o dobro da registada em Portugal: atingiu 4,9%.

Os países Bálticos destacam-se com os valores mais altos chegando a superar o 9% (9,3%) na Lituânia.

Em Espanha a variação homóloga foi de 5,6%, mais do dobro da Portuguesa (2,7% medida pela IHPC que é ligeiramente diferente do IPC).

Na Alemanha, a inflação de novembro atingiu os 6,0% e em França os 3,4%.

Finalmente, foi de 5,4% na Irlanda e 4,3% na Grécia.

Pode encontrar todos os dados que permitem a comparação no Eurostat.

Comparação Portugal UE - Novembro de 2021
Fonte: Eurostat

Segundo o INE, os preços da energia continua a ter um papel muito importante na aceleração dos preços:

O indicador de inflação subjacente (índice total excluindo produtos alimentares não transformados e energéticos) terá registado uma variação de 1,8% (1,1% no mês anterior). Estima-se que a taxa de variação homóloga do índice relativo aos produtos energéticos se situe em 14,2% (13,4% no mês precedente) enquanto o índice referente aos produtos alimentares não transformados terá apresentado uma variação de 0,8% (-0,7% em outubro). 

INE

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *