Tarifa tri-horária como forma de poupar na fatura da eletricidade

Como poupar na fatura de energia? No dia em que encontramos um título absurdo na manchete do jornal Público que diaboliza a tarifa bi-horária e tri-horára –  “Tarifa bi-horária da eletricidade penaliza milhares de famílias” – publicamos esta peça que procura esclarecer e informar os nosso leitores. Encaramos a tarifa tri-horária como forma de poupar na fatura da eletricidade e explicamos como o fazer.

 

 

Tarifa tri-horária: como poupar na fatura de energia

Muitos dos eletrodomésticos que se encontram à venda já permitem programar o seu funcionamento com o toque de um ou dois botões. Acabou de jantar e colocou a louça na máquina de lavar? Então, não ponha o aparelho a funcionar de imediato, pelo menos durante os dias úteis. Programe-o para trabalhar entre a meia-noite e as 7 da manhã. Faça o mesmo com a máquina da roupa ou então, em alternativa, lave a roupa ao domingo ou ao sábado.

No parágrafo de cima usámos como referência o horário de verão da tarifa tri-horária, um serviço apenas disponível para quem ainda não mudou para um operador de eletricidade em mercado livre mas também para quem conheça alguns operadores em mercado liberalizado como a ENAT. A tarifa tri-horária permite, com um pouco de disciplina obter poupanças significativas na fatura mensal da eletricidade.

Tarifa tri-horária como forma de poupar na fatura da eletricidade
Tarifa tri-horária como forma de poupar na fatura da eletricidade – Fonte: EDP

O frigorífico, a máquina da roupa, a máquina de lava-loiça, sozinhos, representam uma parte importante do consumo de energia elétrica de um agregado familiar. Se o uso destes eletrodomésticos for particularmente intensivo – o que é comum quando o agregado familiar é maior e/ou tem crianças – maior será o potencial de poupança e certamente estarão entre os que terão muito a ganhar com uma tarifa bi-horária ou tri-horária.

 

A tarifa tri-horária (ou a bi-horária) funciona assim

O uso de energia nos períodos de ponta implica pagará a eletricidade mais cara do que na tarifa simples. Note que a tarifa bi-horária e tri-horária emplicará ter um encargo com a potência contratada um pouco superior, pelo menos no caso de o fornecedor ser a EDP serviço universal. haverá oferta em alguns pequenos comercializadores que já não exige uma diferença de preço na potencia contratada como se pode ver no sítio da ENAT.

No essencial, estas modalidades tarifárias, penalizam o uso nas horas dos dias úteis em que tipicamente há maior consumo no sistema, como sejam as horas de trabalho normais nos dias úteis, especialmente as manhãs no verão e dois períodos – final da manhã e fim de tarde, início da noite – no inverno;

Por outro lado, a tarifa bi-horária ou tri-horária oferece preços mais baratos do que a tarifa simples para quem conseguir consumir eletricidade nos períodos em que há menos consumo no país, como sejam os fins-de-semana e o período da noite nos dias úteis (mas não só, ver gráfico em cima).

No caso da tarifa tri-horária há três horários: ponta (o mais caro), cheia e vazio (o mais barato). Nos contratos de tarifa simples, há apenas um horário e a tarifa é sempre igual. Nos de tarifa tri-horária, há três horários e três tarifas, sendo o de ponta mais caro do que na tarifa simples e o vazio muito mais barato.

Quem estiver no serviço universal da EDP pode aderir ou desistir da tarifa bi-horária ou tri-horária quando quiser.

 

Quando é que compensa ter tarifa tri-horária?

O custo da energia no período mais económica da tarifa bi-horária e tri-horária será cerca de 45% mais barato do que se tivesse tarifa simples (dados da EDP Serviço Universal). Se conseguir canalizar cerca de 1/3 do consumo para o horário de vazio já deverá conseguir ter uma poupança.

Sabendo que o horário mais económico da tarifa tri-horária já representa por si só quase metade das horas de uma semana (76 horas em 168, ou seja 45% do total, usando como referência o horário de verão) a tarefa de atingir poupanças não será tão complicada quanto poderia parecer.

Naturalmente, atingir o objetivo de ter mais de 1/3 do consumo no horário mais económico dependerá dos hábitos de consumo de cada um, mas, na maior parte das situações, juntar ao consumo do frigorífico – que é tipicamente constante ao longo do dia e que naturalmente já deverá favorecer a tarifa tri-horária – a maior parte do uso da máquina de lavar roupa e da máquina de lavar loiça deverá ser suficiente para conseguir poupar algum dinheiro.

Se em cima disso conseguir garantir que pelo menos não usa o aspirador ou o grelhador elétrico nas horas de energia mais caras (por exemplo, não o usar das 9h15m até às 12h15 nos dias úteis) também estará a ajudar bastante a atingir uma fatura bem mais reduzida.

Se já tiver veículo automóvel movido a eletricidade, colocá-lo a carregar durante a noite será outra forma de poupar energia, pois beneficiará de um preço muito mais baixo do que se tiver uma tarifa simples ou mesmo uma tarifa bi-horária.

A tarifa bi-horária segue o mesmo princípio mas tem uma tarifa em ponta menos cara e uma tarifa em vazio menos barata, além de ter horários diferentes.

 

Várias opções na tarifa tri-horária

Note que há algumas opções que tem ao seu dispor na escolha da tarifa tri-horária. Há a opção por ter horários em ciclo semanal (o tal em que ao fim-de-semana só durante sete das 48 horas não tem a tarifa mais barata) ou a opção por um ciclo diário que tem sempre os mesmo preços em períodos horários determinados, independentemente do dia da semana.

Durante o ano terá ainda um horário de verão e um horário de inverno que muda ao sabor da mudança de hora. Sete meses de horário de verão e cinco meses de horário de inverno.

 

Quem pode optar pela tarifa tri-horária:

Além dos consumidores que já conheça os escassos operadores privados que disponibilizam a tarifa tri-horária (para já temos referenciado apenas um, a já aciam referida ENAT), de momento (maio de 2017) a tarifa tri-horária está disponível para quem ainda é cliente da EDP serviço universal ou seja, pouco mais de um milhão de clientes. Quem mudou para um fornecedor do mercado liberalizado, por regra, não tem essa opção. Note que regressar ao serviço universal é algo que a lei não permite, por enquanto.

Dentro do regime regulado, os clientes podem aderir ou sair da tarifa bi-horária ou tri-horária. Pode encontrar aqui o formulário de alterações contratuais.

É certo que no mercado regulado – onde existe tarifa tri-horária – há aumentos regulares de preços definidos administrativamente, mas é hoje impossível saber se esses aumentos são maiores ou menores do que aqueles que também são impostos pelos comercializadores aos clientes no mercado liberalizado.

Note-se que muitas das situações vantajosas apresentadas pelo mercado livre resultam de situações promocionais e/ou só se aplicam caso haja canalização de eletricidade e gás para um mesmo operador, o que torna mais complicado perceber se há ganho real para o cliente e se essa vantagem é duradoura ou apenas promocional.

Destaca-se ainda que, no mercado liberalizado, há alguns comercializadores que oferecem a tarifa bi-horária mas recomendamos vivamente a que faça bem as contas para perceber se a diferença tarifária nos dois horários justifica a mudança e premeia, de facto, quem usar energia nos períodos em que esta é mais abundante entre quem a produz.

Espera-se que, em breve, com a criação do  ou  as comparações entre ofertas venham a ser mais fáceis, bem como, a mudança de operador ou de pacote tarifário.

 

Vender energia a custo zero

Não é tão raro quanto isso Portugal ver-se obrigado a vender energia elétrica  (exportar) a custo zero ou muito perto disso nos períodos do dia (geralmente da noite) em que o consumo é reduzido e a produção (por exemplo eólica) é elevada). Há mecanismos de armazenagem eletricidade potencial, por exemplo, bombeando água para montante numa barragem de modo a usar a energia hidroelétrica mais tarde, num período de ponta, mas a capacidade de armazenamento por esta via é limitada.

Em algumas circunstância a gestor da rede pode inclusive mandar suspender a produção de energia – mesmo renovável – pois não há procura para ela ainda que esta esteja disponível. Naturalmente, que promover tarifários como o da tarifa tri-horária poderá evitar uma maior utilização da capacidade instalada de geração de energia elétrica nos momento em que há menor procura, libertando capacidade para os momentos em que há maior procura, o que sucede quando a indústria está a laborar, os serviços, etc.

Se este interesse de otimização da gestão do sistema elétrico é partilhado por todos os atores do sistema já é uma pergunta mais complexa pois o conjunto de incentivos e mecanismos de remuneração dos investimentos existentes, complicam imenso uma resposta bem como o alinhamento com aquilo que, intuitivamente, pareceria um bem comum.

Dito isto, a diabolização da tarifa bi-horária e tri-horária patente na manchete cita do jornal Público de 29 de maio de 2017 é no mínimo inusitada.

Recomendamos a leitura do artigo: Pode Continuar no Mercado Regulado de Eletricidade mais Quatro Anos.

 

Este artigo foi atualizado com referência a um operador em mercado liberalizado que vende tarifa tri-horária (em 30 de maio de 2017).

7 thoughts on “Tarifa tri-horária como forma de poupar na fatura da eletricidade

  1. É necessário mais um bocadinho de trabalho de investigação jornalística antes de publicar notícias ….
    Não é só a EDP que tem tarifa tri-horária e há comercializadores em que o preço da potência contratada é o mesmo independentemente se a tarifa é simples, bi ou tri-horária

  2. Só uma nota para informar que eu estou no mercado liberalizado e tenho tarifa tri-horária, pelo que julgo que é possível contratar fora do mercado regulado. A empresa com quem tenho contrato é a ENAT. Não sei se existem mais a disponibilizar essa tarifa, mas esta disponibilizou.

  3. É tudo muito bonito, poupar claro que é muito bom, mas ir contra a lei estabelecida (lei do ruído) é incentivar a falta de respeito entre os vizinhos. Estar a levar com o ruído das máquinas a trabalhar durante a noite é realmente uma coisa a incentivar, não haja dúvidas (sarcasmo). Será que estas empresas não se lembram das leis estabelecidas? É preciso dizer mais ou fazer um desenho?

  4. Obrigado Nuno. Diga-nos então qual é o operador privado que comercializa tarifa tri-horária. Até há bem pouco tempo não havia nenhum. teremos todo o interesse em completar o artigo com essa informação.

  5. Muita conversa, pouca informação de valor e nem sequer referem os custos de energia para os 3 períodos…, porquê?

  6. Porque os valores podem ser diferentes em vários fornecedores. Ou o leitor visitas os respetivos sítios para se informar (e pode haver promoções interessantes) ou esperamos mais algum tempo pelo Poupa Energia que fará esse trabalha em proveito dos clientes.
    Neste artigo pretendemos espevitar a curiosidade e refutar a ideia de que a tarifa bi-horária e tri-horária só serve para penalizar os clientes.

Deixar uma resposta