Clima Económico Melhora em Todos os Setores de Atividade Janeiro 2017

Os primeiros dados sobre a atividade económica em 2017 surgem por via dos indicadores de conjuntura às empresas e aos consumidores. Se entre os consumidores os níveis de confiança estão em máximos de 17 anos, entre as empresas os sinais são igualmente de recuperação da confiança ainda que a um ritmo menos exacerbado.

 

Clima Económico Melhora em Todos os Setores de Atividade

Em janeiro o reforço da confianças dos empresários abrangeu o pleno dos setores de atividade acompanhados pelo INE, ou seja, na Indústria Transformadora, na Construção e Obras Públicas, na Comércio e nos Serviços.

Como resultado global desta evolução, o indicador de clima voltou a terreno positivo depois de ter derrapado ligeiramente nos dois meses anteriores.

Entre os empresário do setor da Indústria Transformadora, a melhoria do índice de confiança baseou-se numa evolução positiva de todas as variáveis que o compõe: opiniões sobre a procura global; perspetivas de produção e apreciações sobre a evolução dos stocks de produtos acabados. Note-se ainda que esta melhoria de janeiro de 2017 foi transversal a todos os agrupamento da Indústria Transformadora.

Quanto à melhoria do indicador de confiança da Construção e Obras Públicas ficou a dever-se, igualmente, à evolução positiva de todas as suas componentes; perspetivas de emprego e opiniões sobre a carteira de encomendas. Destaque-se ainda que, segundo o INE “o número de meses de produção assegurada aumentou nos dois últimos trimestres, após ter atingindo em julho o valor mínimo da série.

Em relação ao indicador de confiança do Comércio, a melhoria foi ligeira e resultou das melhores expectativas quanto ao volume de vendas cujo crescimento mais do que compensou a degradação do saldo das perspetivas de atividade e das apreciações sobre o volume de stocks. Note-se que a evolução global resultou de um aumento da confiança no comércio por grosso e uma diminuição no comércio da retalho, algo que sucede pelo segundo mês consecutivo.

Finalmente, a melhoria do indicador de confiança dos Serviços centrou-se no maior otimismo quanto às expectativas sobre a evolução da procura e sobre a atividade da empresa. Já quanto às apreciações sobre a carteira de encomendas a evolução foi negativa. Em termso sub-setoriais, eis o que o INE avança sobre os serviços:

“Em janeiro, o indicador de confiança aumentou em quatro das oito secções dos Serviços, destacando-se as secções de “Alojamento restauração e similares” e ”Atividades de informação e de comunicação” com os aumentos mais expressivos. Por sua vez, este indicador registou a diminuição mais significativa na secção de “Atividades imobiliárias”.

No último mês, as secções de ”Transportes e armazenagem” e de “Atividades administrativas e dos serviços de apoio” apresentaram um maior número de variáveis com acréscimos nos respetivos saldos.

As restantes secções apresentaram um maior número de variáveis com decréscimos nos respetivos saldos, destacando-se as secções de ”Atividades de informação e de comunicação”, ”Atividades imobiliárias”, e “Outras atividades de serviços”.”

Pode encontrar mais informação sobre os indicadores de confiança de janeiro de 2017 no sítio do INE.

Tagged under:

Deixe um comentário

O seu email não vai ser publicado.