Face aos resultados eleitorais que governo prefere?

Face aos resultados eleitorais que governo prefere? É esta a pergunta que colocamos durante os próximos dias aos nossos leitores. Enquanto não surge uma decisão final por parte dos deputados à Assembleia da República gostaríamos de auscultar os nossos leitores. Poderá responder consultando o inquérito que está disponível na coluna da direita do nosso sítio escolhendo a opção que preferir. São apresentadas as seguintes hipóteses de resposta:

  • PàF (minoritário)
  • PS (minoritário com apoio no parlamento de BE e CDU)
  • Coligação de governo PS+BE+CDU
  • PàF+PS
  • Novas eleições

Participe! Obrigado.

Tagged under:

1 Comment

  • Manuel Gomes AlexandreResponder

    Ganhar eleições para poder governar, significa a obtenção de uma maioria de votos para esse efeito, o que não aconteceu, relativamente a qualquer partido politico. Não é honesto afirmar o contrário, ou seja, que o partido mais votado, mas sem maioria, ganhou as eleições, porque, não tendo uma maioria que lhe permita governar, esse partido foi, apenas,o mais votado. A perspectiva do conceito de Esquerda política é o caminho da Civilização, baseada em relações humanas socialmente globalizantes, de cooperação solidária e de complementaridade de aptidões e de competências individuais, com uma finalidade social, em que o interesse colectivo se sobrepõe a qualquer interesse individual ou corporativo, em obediência ao rigor do conceito de Democracia, bem como de Economia e de Política, como ciências sociais integradas e fundamentais, representando o conceito de Economia de qualquer comunidade, os direitos e as obrigações individuais e sociais de todas as pessoas de cada comunidade, na medida das necessidades e capacidades específicas de cada uma e competindo à Política, como sua finalidade fundamental, garantir as finalidades da Economia,mediante um sector de actividade privada possível, fortemente motivado e apoiado pelo poder politico, bem como por um sector de actividade politica ou pública, complementar, necessário à plena garantia das referidas finalidades da Economia, intervindo, para além dos sectores estratégicos da Economia, incluindo a exclusividade da actividade bancária, para ajustamento da massa monetária ao valor da economia real e prevenir o parasitismo da especulação financeira – cancro da Economia – intervir em quaisquer outros ramos de actividade, se as finalidades da Economia, referidas ( garantia do pleno emprego e o máximo aproveitamento dos recursos naturais existentes) assim o exigirem. EU VOTAREI NOS CAMINHOS DA CIVILIZAÇÃO

Deixar uma resposta