Défice de 2014 fica nos 4,5% – não inclui eventual efeito BES

Segundo o INE, na informação divulgada através do Procedimento dos Défices Excessivos (1ª Notificação de 2015), o défice público em 2014 terá sido de 4,5% descendo três décimas face ao ano anterior. Este valor do défice inclui medidas extraordinárias mas não inclui ainda o potencial impacto do processo de resolução do BES e venda do Novo Banco. Em 2014. o Estado português endividou-se assim em mais €  7.822,3 milhões.

Entre as medidas extraordinários que inflacionaram o défice em 2014 destacam-se: “(…) o registo das operações de financiamento do Estado à STCP e à Carris, ao write-off de non performing loans do BPN Crédito, detidos pela Parvalorem, S.A. e à assunção da dívida garantida do Fundo de Contragarantia Mútuo. “

Tagged under:

1 Comentário

  • gabriele Responder

    U EFETO BES CHE U PAGA SALGATO E SOCIOS CHE ELO TEN AMIGOS CHE LE REGALANU 14 MILION EUROS
    ESTO GATUNOS TENIA CHE ESTAR PRESO 30 ANOS COMO MORDOFF NA AMERICA NO EN LIBERTADE. GATUNO

Deixar uma resposta