Consulte os dados que o Banco de Portugal tem sobre as suas contas bancárias

Consulte os dados que o Banco de Portugal tem sobre as suas contas bancárias acedendo pela internet ao Mapa da Base de Dados de Contas. Se tem cartão do cidadão com os respetivos códigos ou, em alternativa, os códigos de acesso ao portal das finanças pode obter o seu Mapa da Base de Dados de Contas pessoal onde encontrará o histórico das contas bancárias que tem ou teve abertas nas várias instituições bancárias nacionais. Note-se que os herdeiros também podem pedir para consultar esta informação sobre ativos financeiros de titulares falecidos, devendo nesse caso os pedidos ser feitos presencialmente ou por correio.

Nesse mapa encontrará as contas bancárias associadas ao seu número de contribuinte com indicação do banco, tipo de conta (à ordem, de instrumentos financeiros, à prazo, cartão, etc), data de abertura, data de encerramento, relação (se é titular ou não), entre outros. Também encontrará informação sobre os depósitos a prazo (constituição e maturidade) e sobre contas que talvez nem saiba que tem como as associadas a cartões de clientes/cartões de crédito que tenha junto de empresas de retalho e seus parceiros financeiros.

Pode verificar se seus dados indicados junto de cada banco estão atualizados, pode verificar se tem alguma conta que já devia ter encerrado e, naturalmente, fica com uma ideia mais precisa sobre o seu envolvimento bancário e sobre o que o banco de Portugal e as Finanças sabem ou podem saber de si.

Não confunda este mapa com um outro, o Mapa de Responsabilidades de Crédito, que também pode consultar e que lhe dá informação sobre as suas responsabilidades de crédito (empréstimos) contraídos junto de instituições financeiras.

Tagged under:

9 Comments

  • john silvaResponder

    bom dia . ja consultei e posso dizer que nao esta certo. posso dar alguns exemplos. as contas do banco invest( e outros) nao aparece la . as contas fechadas nas instituiçoes ( ha ja varios anos) aparece la como activos.
    ja telefonei ao banco de portugal e basicamente disseram que nao é uma obrigaçao do banco a informar o banco de portugal as contas . portanto nao acreditam muito naquilo do “”Mapa da Base de Dados de Contas””

    • MapariResponder

      Obrigado john. Mas então é pertinente perguntar para quê apresentar esta informação de má qualidade publicamente?

  • john silvaResponder

    ja perguntei ao banco de portugal
    resposta
    nao é responsabilidade deles mas sim dos bancos
    ( nao te esqueces que vivemos em portugal onde cada um passa a batata quente para o outro e ninguem assume nada)

  • Pingback:O que lhe diz o seu Mapa de Responsabilidades de Crédito? - Economia e Finanças

  • anoni-milResponder

    tudo correctíssimo

  • Cândido CerqueiraResponder

    De facto existem erros que só podem ser imputados aos bancos aonde movimentamos os nosso débitos e créditos, ou já movimentamos em períodos anteriores, pois são estes que enviam para o BP essa informação, aconselho a quem verificar esses erros enviar um mail a exigir a imediata correção, pois pode por em causa futuros créditos ou problemas com as finanças (AT) que estão a cruzar informações com estas bases de dados.

  • Pingback:Empregos na CMVM, dados sobre as nossas contas bancárias pela internet, juros negativos e carros que podem andar em Lisboa (TOP 5) - Economia e Finanças

  • Silva CunhaResponder

    De facto, o Banco de Portugal está muito longe da verdade no que se refere às informações da banca nacional e/ou outras entidades financeiras. Enfim, é o que temos!

  • Artur Fernando BarretoResponder

    O Banco de Portugal e todo o seu histórico, como supervisor, é absolutamente desprezível e atentatório contra o direito e bens pessoais, a sua monitorização responsabilidade e competência, tem sido demonstrada ao longo dos anos com escândalos de conivência no que concerne à insolvência de várias entidades bancarias, fazendo vitimas inocentes em todas os bancos falidos. O mais escandaloso são os seus presidentes, o antecessor e o presente serem gratificados com impunidade à custa do sofrimento e perda de bens dos clientes dos falidos bancos. Pergunto é para esta competência desastrosa e fútil que se justifica a existência desta medíocre instituição supervisora.? Porque não a sua extinção, perante o desastroso serviço prestado aos lesados, é mais do que justificativo. Ou será porventura uma instituição com credibilidade digna de uma democracia.? Ou uma democracia que dá abrigo a instituições como esta que servem para assaltar o povo..!

Deixar uma resposta