PIB desacelera em homólogas e cai em cadeia

A estimativa rápida do INE relativa à evolução trimestral do PIB (Produto Interno Bruto) revela que este aumentou 1,2% face ao mesmo trimestre de 2013. Recorde-se que o primeiro trimestre de 2013 foi aquele que registou o pior desempenho desde o início da implementação de medidas de austeridade, pelo que a base de comparação para apuramento da variação homóloga era particularmente favorável a uma recuperação.

O crescimento agora registado foi contudo inferior ao apurado entre o quarto trimestre de 2012 e de 2013 (1,5%) sinalizando uma desaceleração do crescimento do PIB. Destaque-se ainda que o INE reviu em baixa a crescimento económico que havia apurado em versões anteriores das Contas Nacionais Trimestrais, passando de 1,7% para 1,5%.

Quando a comparação é feita com o trimestre anterior, o INE revela uma queda do PIB de 0,7% o que coloca o país à beira de regressar a uma situação de recessão técnica.

Como justificação sumária para este desempenho o INE avança, para já, com a seguinte análise:

“(…) A procura externa líquida apresentou um contributo negativo expressivo para a variação homóloga do PIB no 1º trimestre, depois de registar um contributo positivo no trimestre precedente, devido principalmente ao abrandamento das Exportações de Bens e Serviços, tendo as Importações de Bens e Serviços acelerado. A procura interna apresentou um contributo positivo mais significativo no 1º trimestre, refletindo sobretudo a evolução do Investimento. (…)”

Tagged under:

Deixar uma resposta