Estatísticas sobre as Famílias em Portugal

O INE juntamente com o o Observatório das Famílias e das Políticas de Família do Instituto de Ciências Sociais publicou hoje “Famílias nos censos 2011 : diversidade e mudança” uma obra de 238 páginas (disponível gratuitamente em formato PDF) que celebra o dia internacional da família. Esta publicação conta com 10 capítulos distintos, coordenados por investigadores dedicados:

Capítulo 1
Principais tendências demográficas: as últimas décadas. . . . . . . . 25
Cláudia Pina e Graça Magalhães
Capítulo 2
Evolução das estruturas democráticas em Portugal, 1960-2011 . . 43
Karin Wall, Vanessa Cunha e Vasco Ramos
Capítulo 3
Dinâmicas regionais de mudança nas famílias (2001-2011) . . . . . 65
Sofia Aboim
Capítulo 4
Transformações familiares recentes: uma perspetiva territorial. . 87
Cátia Nunes
Capítulo 5
Pessoas sós em Portugal: evolução e perfis sociais. . . . . . . . . . . . 125
Maria das Dores Guerreiro e Ana Caetano

Capítulo 6
A evolução da conjugalidade em Portugal: principais tendências
e modalidades da vida em casal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 155
Vanessa Cunha e Susana Atalaia
Capítulo 7
Famílias monoparentais: linhas de continuidade e de mudança . . 177
Sofia Marinho
Capítulo 8
Famílias complexas: tendências presentes. . . . . . . . . . . . . . . . . . . 197
Pedro Vasconcelos
Capítulo 9
A diversidade das famílias com descendência numerosa. . . . . . . 209
Vasco Ramos
Capítulo 10
As famílias recompostas em Portugal: dez anos de evolução
(2001-2011) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 225
Susana Atalaia

Numa versão sumária, o INE fez também publicar oito páginas de estatísticas sobre as famílias em Portugal. Os dados compilados recorrem ao último recenseamento geral da população realizado há três anos e aos anteriores a este. Da comparação com momentos censitários anteriores surgem os seguintes destaques:

  • Famílias numerosas continuaram a perder importância: em 2011 apenas 7,4% tinham três ou mais filhos;
  • Aumentaram os núcleos monoparentais: em 87% das situações é a mãe que vive com os filhos;
  • Cresceram os núcleos familiares reconstituídos: em 78% dos casos os filhos não comuns são da mulher;
  • Aumentaram os casais em união de facto;
  • Em cada dois núcleos familiares um correspondia a casal com filhos;
  • Aumentou o número de pessoas sós: mais de um quinto das famílias portuguesas eram famílias
  • unipessoais;
  • A dimensão média das famílias reduziu-se continuamente.

Tagged under:

Deixar uma resposta