Emprego em queda trimestralmente, mas a recuperar em termos homólogos

Declarações Financeiras e Fiscais - IRS

Depois de três trimestres de crescimento continuado do emprego, Portugal perdeu cerca de 42 mil empregos entre o último trimestre de 2013 e o primeiro de 2o14 (-0,9%). Se a comparação se fizer com o primeiro trimestre de 2013 o cenário é mais animador dado que existem mais 72 mil postos de trabalho (+1,7%). No final do primeiro trimestre Portugal tinha 4 426,9 mil pessoas empregadas. Em parte, a queda trimestral pode justificar-se por fatores sazonais.

Quanto à taxa de desemprego (15,1%) evoluiu positivamente, em particular em termos homólogos com uma queda de 2,4 pontos percentuais (p.p.). Comparando com o trimestre anterior a evolução positiva foi mais modesta: apenas 0,2 p.p..

Sublinhe-se que a redução do número de desempregados continua a ser muito superior à criação de empregos no mesmo período. Em termos homólogos desapareceram 138,7 mil desempregados e só surgiram  72,3 mil empregados. Há uma diferença de 66,4 mil indivíduos. O Norte, Lisboa e Madeira registaram quedas no desemprego entre o 4º trimestre de 2013 e o 1º trimestre de 2014. Nas restantes regiões. Provavelmente dever-se-á a um efeito sazonal.

Num único trimestre a população ativa portuguesa perdeu €66,4 mil pessoas em termos homólogos e 61,8 mil em cadeia (face ao trimestre anterior).

Dados do INE.

Tagged under:

Deixar uma resposta