Segurança Social explica como se pagará o subsídio de férias aos pensionistas

A Segurança Social emitiu um breve comunicado que a seguir se reproduz no qual explica aos pensionistas qual a expectativa de pagamento do subsídio de férias no decurso do corrente ano:

“(…) Pensões até 600 euros
Em julho, os pensionistas cuja pensão mensal seja inferior a 600€, recebem o subsídio de férias por inteiro, ou seja, para além da pensão recebem o montante adicional igual ao valor da pensão.

Pensões entre os 600 e os 1.100 euros
Em julho, os pensionistas cuja pensão mensal seja igual ou superior a 600€ e não exceda os 1.100€ ficam sujeitos a uma redução no subsídio, prevista na Lei n.º 39/2013, de 21 de junho, ou seja para além da pensão, recebem parte do subsídio de férias.

Em dezembro de 2013, no pagamento do restante valor do subsídio de férias, serão feitos os acertos de retenção na fonte em sede de IRS, aplicáveis às pensões recebidas pelos pensionistas desde janeiro de 2013, de acordo com as novas Tabelas de IRS. Os acertos respeitantes à retenção na fonte da sobretaxa em sede de IRS serão feitos em simultâneo.

Pensões superiores a 1.100 euros
Em julho, os pensionistas cuja pensão mensal seja superior a 1.100€, para além da pensão recebem 10% do subsídio de férias e no mês de dezembro o montante correspondente aos restantes 90%.

Salienta-se que o montante do subsídio de férias pago em julho de 2013, está sujeito aos descontos normais aplicados aos valores de pensão, como IRS, Contribuição Extraordinária de Solidariedade (CES) e Sobretaxa. O valor descontado ou deduzido será proporcional ao valor do subsídio de férias que for considerado para pagamento.

Em dezembro de 2013, no pagamento do restante valor do subsídio de férias, serão feitos os acertos de retenção na fonte em sede de IRS, aplicáveis às pensões recebidas pelos pensionistas desde janeiro de 2013, de acordo com as novas Tabelas de IRS. Os acertos respeitantes à retenção na fonte da sobretaxa em sede de IRS serão feitos em simultâneo. (…)”

Tagged under:

3 Comments

  • maria fernanda costaResponder

    Gostava de perguntar ano sr. presidente do conselho de ministros se, em dezembro, o governo vai pagar juros por este pagamento a ” prestações”… Porque foi dito e redito quer ” havia cabimento financeiro ” para proceder ao pagamento. Portanto, se não pagam, é porque NÃO QUEREM !!! É dinheiro nosso, ganhamos pouco, descontámos mais de 40 anos, e só nós é que somos portugueses, para sermos só nós a pagar sacrifícios ?

  • Santos SilvaResponder

    Está muito bem explicado!
    Se tem pensão superior a 1100 €, diga adeus ao subsidio de f?rias; 10% são contabilizados em Julho sendo-lhe aplicadas as taxas de IRS, CÊS e Sobretaxa, de que resulta ficarem retidos para pagar aos coitados dos “especialistas” que pululam nos gabinetes dos ratos !
    90% serão contabilizados em Novembro e com aplicação das nonas tabelas de IRS, CÊS, e sobretaxa, duvido que seja suficiente para cobrir as deduções que sofremos !
    Finalmente teremos que declarar tudo no acerto de contas e , se alguns cêntimos sobraram do subsidio serão rapados na declaração anual.
    E evidente que o Gaspar e o Ladrão mor tinham que ficar com o que poupámos durante a vida
    L

  • Antonio SerraResponder

    Quando Uma Pessoa de BEM(deveria ler-se ESTADO)deixa de o ser,que
    principios norteiam o Governo? Será porque nos atiram á cara que foram eleitos para democraticamente nos aliviarem dos recursos que conquistamos ao longo do nosso trabalho?Porque não dão o exemplo neles próprios para que pelo menos o cidadão tente acreditar nas balelas ? Para mim já aprendi a lição,votar nos dois partidos que
    se têm governado ao longo deste tempo (37 anos)CHEGA , é tempo de correr com os TAXISTAS ( deputados)que estão ao longo deste tempo a contar sempre com as maiorias e fazer de nós IDIOTAS.

Leave a Reply

Your email address will not be published.