Orçamento retificativo: corte do rendimento disponível não assentará em impostos

Funcionários públicos, pensionistas e reformados deverão encaixar a redução da despesas prevista no orçamento retificativo que, já tendo sido aprovado em conselho de ministros, será apresentado amanhã de manhã no parlamento.

Se em termos formais não se espera um aumento de impostos, o mesmo já não se poderá dizer quanto a taxas ou quanto a cortes salariais (quer em termos nominais, quer em termos de remuneração por hora trabalhada ou por via de horas extraordinárias).

Na prática, a redução de despesa deverá traduzir-se numa redução do rendimento disponível mimetizando, em termos macroeconómicos, o efeito espectável por via de um aumento de impostos, neste caso, concentrado em algumas frações da sociedade.

Amanhã, assim que sejam publicas as medidas inscritas no orçamento retificativo, procuraremos dar delas nota por aqui.

Tagged under:

1 Comment

  • Antonio LuísResponder

    O governo usa a esperteza saloia de dizer que não há aumento de impostos quando aplica taxas (com os mais diversos nomes)sobre salários e pensões. A maioria das anunciadas taxas são impostos disfarçados … e os senhores governantes a fazer de nós parvos. Infelizmente a imprensa, mesmo a especializada, acolhe acríticamente esta conversa, nada questiona … temos a imprensa que merecemos.

Deixar uma resposta