Esforço adicional de quem recebe €2.000 aumenta 12 vezes mais do que o de quem recebe €5.000

Na tabela que se segue (fonte: Jornal de Negócios) complementa-se a tabela que já divulgamos (ver “Saiba como calcular o salário da função pública (Tabela para 2014)“) com a comparação do acréscimo de esforço exigido na Função Publica que é agora exigido. E, como se verifica, o acréscimo de esforço é muito díspar ao longo da tabela remuneratória incidindo em particular entre quem recebe €2.000 brutos.

A título comparativo, quem recebe €2.000 enfrentará em 2014 um esforço adicional que representam +243% do que em 2013 enquanto quem receba €5.000 terá um incremento do corte de apenas 20%.  Naturalmente, quem receba pouco mais de €600 e até €1500 não enfrentava qualquer corte em 2013 e passará a contribuir.

O governo invoca esta maior penalização dos funcionários públicos que recebem menos vencimento (técnicos administrativos, entre outros) com o facto de acreditarem que os mais bem pagos (técnicos superiores) estão a receber menos do que receberiam no privado, afirmando igualmente que sucede o inverso entre os que recebem menos vencimento. Contudo, sabemos que há muitos técnicos superiores cujo vencimento está congelado há vários anos e que serão abrangidos precisamente por este corte mais vincado em torno dos €2.000 (não muito distante do início de carreira).

 
Comparativo corte 2013 2014Fonte: Jornal de Negócios.

Tagged under:

3 Comentários

Deixe um comentário

O seu email não vai ser publicado.

NOS