DECO e a sombra: a ler "Coisas da Vida"

Damos hoje destaque a um excerto do artigo ontem publicado no Diário de Notícia, assinado por Paulo Baldaia, atual diretor da TSF:

Coisas da vida

 “(…) Está fechado o leilão promovido pela Deco. Os consumidores que a empresa defende ganharam umas migalhas, a Deco pode faturar mais de meio milhão e a empresa espanhola Endesa fez o negócio da vida. A Deco teve entradas de leão e vai ter uma saída de sendeiro. Prevê cobrar cerca de meio milhão de euros, mas já fez saber que gastou mais de 300 mil na campanha. Uma campanha a favor da Endesa, concorrente única a um leilão que não teve nada de leilão. Para quem vive em defesa dos consumidores, o mínimo que se pode dizer é que foi muito pouco transparente. Denunciar interesses ocultos nas críticas que se fizeram a esta campanha é desculpa fraca para quem teve de andar a corrigir o tiro e, ainda assim, sai mal na fotografia. Para os mais pobres dos consumidores de energia o que se prevê é uma poupança anual de um euro, o mesmo é dizer que se prevê uma poupança de oito cêntimos por mês. Não dá para uma carcaça. E para os consumidores mais ricos dá uma poupança de 79 euros anuais, seis euros e meio por mês. Dá para ir ao McDonald”s, onde só podem ir os ricos. A Deco exige transparência e funciona na sombra. (…)”

PAULO BALDAIA – DN de 12-05-2013

NOTA: Segundo lemos na imprensa citando-se a própria DECO o valor a faturar está dependente do número de subscritores do contrato com a Endesa podendo atingir, no máximo, os 2.9 milhões de euros.

Tagged under:

5 Comentários

  • IsabelPSResponder

    Uma daquelas histórias que eu gostava de perceber mas duvido que alguma vez o venha a fazer. A Deco aparece como a má da fita e talvez seja verdade. Mas se as empresas de energia se comportarem como um cartel a culpa é dela? Na dúvida, eu tendo para a versão favorável à Deco.

  • António CamposResponder

    Nada de novo para quem já estivesse atento às movimentações da DECO! Apoiei a sua criação contribuindo com a minha adesão logo desde a primeira hora e caí fora após me aperceber que afinal nunca foi uma organização em defesa dos consumidores; é sim uma empresa de vendas e vendida a quem der mais. Notei isso desde logo com diversos testes de produtos que conhecia melhor do que eles!
    Para quem defende os consumidores e a transparência, foram os únicos que nunca alteraram a forma de pagamento das quotas para débito directo, ficando a cobrar anualmente aquilo que lhes apetecia sem qualquer controlo por parte dos associados!
    Será que há ainda quem acredite nesses farsantes? Não sei quais serão os piores, se os fornecedores de energia se a própria Deco!

  • Antonio MonteiroResponder

    Depois de se ter descoberto a careca sobre o altruísmo e o interesse na defesa dos consumidores pela Deco, esta ainda tem a lata de vir a público que gastou 300.000€ com este leilão? Em quê? Em jantares de caviar com a Endesa? Ou a manutenção do site para este leilão foi feito com especialistas da Microsoft vindos em comissão de serviço?
    Não, pode a Deco descontar o meu nome do seu leilão, tanto mais que tanta comissão só garante preço para um ano!

  • José MoraisResponder

    Resumindo, como diz o velho ditado, ninguém dá nada a ninguém sem receber algo em troca, e se nos derem um chouriço, a eles terão de lhes dar o porco, com isto está tudo dito.

  • leonel murtinheiraResponder

    Para quem defende os consumidores,ou diz defender, esperava muito mais desta associação, acho que ficou muito mal na fotografia.
    Aderi a este leilão quase na primeira hora, mas fiquei deveras desiludido e acho que no fim disto tudo patrocinou uma grande campanha á endesa. Já me tinha apercebido que a bota não batia com a perdigota,nomeadamente por me aumentarem, já por dois anos consecutivos a minha cota de associado sem me darem conhecimento,apenas o sabendo, pelo extracto bancário,é só sacar.

Deixe um comentário

O seu email não vai ser publicado.