Austeridade 2013: ADSE convergirá para regime geral, RSI e Subsídio de Desemprego com acesso mais condicionado

Mais uma notícia sobre a Austeridade 2013: ADSE convergirá para regime geral, RSI e Subsídio de Desemprego com acesso mais condicionado.

O Ministro das Finanças anunciou ainda de forma genérica que o regime da ADSE convergirá para o regime geral da segurança social.

Anunciou ainda que o Rendimento Social de Inserção terá nova revisão de sentido restritivo ao nível das condições de acesso.

Referiu igualmente que serão estudadas condições mais restritivas de acesso ao subsídio de desemprego.

Quanto à Função Pública foi também designado o objetivo de redução mais acelerada dos custos com remunerações na Função Pública.

Continuaremos a acompanhar nas páginas do Economia e Finanças as novidades sobre a Austeridade 2013.

Tagged under:

25 Comentários

  • Sirius Responder

    Em relação ao ADSE, até que enfim!
    Aqueles que produzem têm que gramar o regime geral e os senhores doutores (cidadãos de primeira) gozavam do luxo!
    Afinal, nem tudo é mau!

  • Morpheus Responder

    Esqueces que nem todos os que beneficiam da ADSE são doutores!

  • doutor Responder

    Pois, os “doutores” tal como ali o amigo chama são uma pequena fatia dos beneficiários da ADSE. O típico funcionário público peixe miúdo que ganha salários de miséria, de doutor é que não tem nada. É este o envenenamento que a comunicação social faz à cabeça de quem não tem cabeça para mais e acredita em tudo o que lhe dizem (não esquecer que para a “média salarial” de 1500e que andaram a anunciar à boca cheia também contam os salários de deputados e outras espécies de “boys”).

  • Sirius Responder

    Independentemente do que possam dizer, o sistema de saúde pública devia ser igual para todos. Quem quiser mordomias que façam seguros de saúde.
    Repito, ao nível publico, todos deviam ter os mesmos direitos, porque a chuva quando cai é para todos.
    Não posso conceber que no mesmo Hospital, uns são tratados a pão de ló e outros a pontapé. Eu sei o que digo, pois já vi e passei por muito.

  • Pingback:Síntese das medidas de austeridade anunciadas pelo Governo – 12 SET 2012 | Economia e Finanças

  • Alguém Responder

    Desculpem a minha ignorância, mas o que quer dizer “a ADSE convergir para o regime geral da segurança social”??

  • Candida Responder

    Se a ignorância mata-se, muita “gentinha” já teria morrido.
    Há 36 anos que desconto todos os meses para a ADSE e poucas vezes usufruí (uma % em óculos, uma % numas meias, uma pequena parte em consultas, talvez 2 consultas p/ano nos últimos 3/4 anos. A ADSE tem lá muito $ meu).
    Fiquem bem invejosos!!!

  • Funcionário público Responder

    Seguramente para enganar os papalvos, alguém até quer passar a ideia que a ADSE é algúm privilégio! Esquecem-se de dizer que cada funcionário público desconta 1,5% do ordenado para este regime. Como sempre em Portugal, aquilo que outros deveriam reclamar como também querendo ( equiparar o regime geral à ADSE) preferem que se corte aos outros, ficando todos nivelados com a fasquia mais baixa. Talvez por esta mentalidade saloia, o país tem aquilo que merece.
    PS: cortem a ADSE à vontade! Com o 1,5 % de folga nos descontos, farei um seguro da Médis e ainda pouparei dinheiro. Está melhor assim ?

  • J Rodrigues Responder

    Os do regime geral estão a esquecer-se que nada descontam para a saúde mas sim apenas para a segurança social (11% por enquanto). Os funcionários públicos descontam uma percentagem do ordenado (que por acaso dava para pagar um bom seguro)para além das contribuições para a CGA (11%). Não peçam para os FP perderem direitos. Peçam antes direitos iguais. Mas não se esqueçam que tb têm de pagar por eles.

  • A Sousa Responder

    O que ninguém diz é que a ADSE custa aos trabalhadores 1,5% do seu salário bruto a acrescer aos 10% (futuramente 17%) para a caixa geral de aposentações.
    Os trabalhadores do estado descontam mais para a “segurança social” que os do privado.
    Neste momento os trabalhadores já podem desistir da ADSE, pelo que valerá a pena pensar se não compensa investir esse 1,5% num seguro privado.

  • Eu Responder

    Para os “cultos” aqui vai a seguinte informação: Durante décadas os funcionários públicos foram obrigados a descontar para a ADSE, sem nunca lhes ter sido dada a hipotese de escolherem se o queriam sequer. Muitos deles agora com idades avançadas, não irão ter um seguro, que os aceite, ( mas isso aplica-se a qq pessoa de idade avançada).
    Concordo que a saúde deve ser igual para todos, por isso o conselho que dou é: se te atendem de forma diferente devido ao facto de teres ou não ADSE, em vez de criticares quem o tem, questiona quem presta esse serviço.

  • Feliciano Cunha Responder

    Com tanta convergência penso que os portugueses vão é convergir todos para a miséria

  • Sirius Responder

    A discussão está a aquecer…
    Não é minha intenção atacar ninguém, afinal somos todos povo. Na verdade o que pretendia dizer é que o Sistema conforme está não é justo.
    Desconhecia alguns pormenores relacionados com os descontos… A minha crítica baseia-se apenas em muitas situações que tenho visto ao vivo, e aquilo que presenciei mostra-me que o Sistema não é justo. Provavelmente, o que o PM pretende fazer não vai melhorar a situação, porque o que tem sido feito até agora, é apenas com a intenção de beneficiar os grandes.
    Cabe a nós o povo, juntar-nos e resolver este problema que aflige tanta gente. Só não sei como é que isso poderá acontecer, porque estamos habituados a “cada um por si”. Seja como for, no próximo dia 15 vamos ter oportunidade de mostrar que podemos trabalhar a uma só voz:
    http://www.cadpp.info/2012/09/blog-post.html
    Peço desculpa pela forma como comentei antes, como devem entender, nem sempre é fácil domar as emoções.
    Fiquem bem e até dia 15!

  • toouaquitoula Responder

    Os funcionários públicos, neste aspecto sempre foram tratados como portugueses de 1ª e os do Privado como portugueses de segunda. Isto está mal e QUANTO MAIS DEPRESSA SE CORRIGIR ESTA SITUAÇÃO, MELHOR.
    No tempo da outra senhora, havia várias Caixas de Previdência e havia uma coisa qualquer que não sei se já se chamava ADSE para os funcionários públicos. No que se refere aos privados o Empregado sempre descontou do seu ordenado uma percentagem para a Caixa em que estava integrado. Em simultâneo a Entidade patronal sempre descontou, uma percentagem avultada que agora estava em 23,75% do vencimento dos seus Empregados. As caixas de Previdência da época eram um poço de dinheiro de que os governos no tempo da outra senhora se serviam, mas que devolviam. Os génios criaram o SNS, saquearam todo o mealheiro das Caixas de Previdência e puseram esse mealheiro ao serviço de todos incluindo aqueles que nunca haviam descontado um chavo. Faliram o sistema, porque socializaram as despesas, mas continuaram a discriminar os trabalhadores do privado, que passaram a pagar, eles e os patrões para tudo…..PORQUE SERÁ QUE O ESTADO, COMO EMPREGADOR NÃO PASSOU A PAGAR PARA O SNS O QUE PAGAVAM OS OUTROS PATRÕES? PORQUE SERÁ QUE OS FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS NUNCA DESCONTARAM AQUILO QUE OS PRIVADOS SEMPRE DESCONTARAM?…..Os funcionários públicos para além de terem emprego garantido, sendo coiros ou diligentes…sempre constituíram a elite dos benefícios….CHEGOU O TEMPO EM QUE DEVEMOS SER TODOS IGUAIS, no que a benefícios se refere. TUDO O RESTO É POESIA BARATA ESTA É A REALIDADE

  • Kiduxa Responder

    O problema de muitos portugueses e serem ignorantes e não saberem do que falam!!!!!

  • Funcionário público Responder

    Os funcionários públicos descontam 11% (e não 10%) para a Caixa Geral de Aposentações e depois mais 1,5% para a ADSE. Isto são factos sem qualquer tipo de azia.

  • Não sou FP nem ignorante Responder

    Parem de chamar ignorante a quem não tem ADSE. Ignorante é não perceber que apesar de perderem parte do seu salário para beneficiar da ADSE os funcionários públicos estão sem qualquer sombra de dúvida a um nível superior no acesso à saúde.
    Se não vejam
    http://expresso.sapo.pt/acabar-com-a-adse-e-dificil-mas-racional-justo-e-coerente=f634839
    http://visao.sapo.pt/como-a-adse-esta-a-matar-os-hospitais-publicos=f670168
    http://rr.sapo.pt/informacao_detalhe.aspx?did=60868&fid=31
    Só vejo aqui gente a chamar ignorante uns aos outros mas provavelmente esses não olham para a sua própria prepotência sobre os seus direitos adquiridos.
    Não é justo e todos sabem disso. Todos os especialistas na matéria o dizem. E em todos os meios de comunicação se ouve gente a dizer isto.
    Agora não digam que isto é um combinação contra a função pública.
    Não culpo a função pública nem aponto o dedo a estes até porque foi um direito atribuído por uma classe política em busca do interesse de empresas privadas bem como de votos por parte de grande fatia da população portuguesa.
    Mas uma coisa vos digo não sou ignorante, e sei que muita gente tem ADSE e não está a beneficiar em pleno disso, mas é um facto que os Funcionários Públicos neste ponto estão a ser tratados como cidadãos de um Portugal mais elevado.

  • José António Responder

    Não entendi.. dizem que os 1,5% davam para um grande seguro de saúde?
    1. 1,5% de 1000 euros são 15 euros… que grande seguro…
    2. Qualquer seguro de saúde tem limites ou plafonds, enquanto que com a ADSE é nada..
    3. Os descontos para a segurança social no privado vão passar a ser 36% … quanto é que cada FP vale para a SS?
    4. Pelo que os FP que comentaram aqui pretendem, é que todos os Portugueses passem a ter ADSE em vez de ficarem eles sem o ADSE.. neste momento em que se corta tudo, iríamos aumentar os nossos custos porque só quem é muito ignorante é que julga que os 1,5% pagam as despesas da ADSE…

  • Santos Responder

    Bem, estou mesmo a ver que o pessoal não aprendeu ainda nada. Somos um povo mesquinho, pérfido, invejoso, iliterado, não gostamos de ver o vizinho melhor, e é preferível vê-lo em baixo do que trabalhar para atingir o seu nível. e parece merecer toda esta vergonha troikiana e os apertos. Nada melhor para reinar que dividir, e vamos ter a sociedade civil, toda, a descontar em 2014 para a saúde, e nunca menos que 2% do ilíquido.

  • N.M.O.G. Responder

    Este país está podre… Este país não tem solução. Tenho 34 anos e não acredito nele. Sair daqui é a única solução.
    Sou funcionário público há 13 anos. Usei uma meia dúzia de vezes o grande luxo que se chama ADSE e para a qual desconto mais de 20 €uros por mês, para além de todos os descontos que o comum trabalhador tem.
    Gente IGNORANTE, MIL VEZES IGNORANTE, NUNCA ME CANSARIA DE VOS CHAMAR IGNORANTES, sabem porque têm os FP esta regalia? Não sei bem tb mas só posso deduzir que seja para tentar compensar a miséria de ordenados que ganham. Em troca de uma garantia de estabilidade, temos FP que com mais de 20 anos de antiguidade, ainda ganham pouco mais de 500 €uros. E, ainda assim, descontam, n fogem um cêntimo… Esta é a realidade de milhares de Assistente Operacionais, chamados assim pomposamente mas que não passam dos tão conhecidos contínuos das Escolas deste país. Esta é miséria de ordenado que ganham. Eu sou professor e, para além de me terem tirado 100 euros do ordenado, só pq o meu ordenado iliquido ultrapassa os 1500 €, tenho liquidos quase 1100 €uros. Acham muito? Eu não acho. Tenho licenciatura, mestrado e não passo da cepa torta há 4 anos. Só congelamentos e mais congelamentos. Os meus colegas que estão no privado ganham bem mais do que eu, têm diuturnidades, etc. Mas eu tenho o emprego seguro, pq faço parte do quadro do Ministério da Educação. Até qd estou seguro? Não sei. Tenho medo de ouvir notícias… A ADSE era uma regalia, é verdade. E as regalias dadas nas empresas: carro de serviço, telemóvel, cartão de saúde… Eu, ainda telefono do meu telemóvel para Pais de alunos que n querem saber deles e a horas fora do expediente, pq senão não os apanho.
    IGNORANTES, indignem-se com outros trabalhadores que afundaram o país. Sabem quem são? Os milhares de trabalhadores, que não têm mais do que a 4ª classe e que ganham mais do que os meus 1100 euros e que descontam sobre o ordenado minimo nacional. São esses, os empresários da hotelaria, da construção civil e tantos outros que sois vós meus IGNORANTES e que estão tão indignados pq os FP têm ADSE.
    IGNORANTES, MIL VEZES IGNORANTES….

  • antonio Responder

    Muita idiotice se disse acima.
    Alguns, mais invejosos que racionais, aplaudem o fim da ADSE.
    Vejamos, muitas empresas possuem sistemas de ajuda medico social, identicos ao da ADSE… em concreto… quando pagam comissões e juros aos bancos alimentam o SAMS
    quando pagam as mensalidades TMN, MEO etc.. alimentam os serviços sociais da PT… idem para uma enormidade de empresas que oferecem aos seus trabalhadores serviços de saúde… que o consumidor paga alegremente quando faz transações com essas empresas
    Reitero, que alguns invejosos, e pobres de espirito, que secalhar nada produzem, e que nem estudos tem, estão contra a ADSE.
    Quem financia a ADSE ? é como qualquer outro sistema de saude de muitas empresas privadas… a entidade patronal e o empregado
    Se o Estado tem empregados, tem de lhes pagar e de lhes dar beneficios, é mais do que justo !!!
    Com tantas medidas restritivas, qualquer dia o Estado quer recrutar um tecnico, e não o conseguirá, pelo menos um tecnico competente… enfim…

  • João Filipe Amado Silva Pais Responder

    Será que este estado que se diz democrático mas actua como ditador após 45 anos de desconto para ADSE sem lhe dar despesa serei ressarcido daquilo que fui roubado?Povo tão ignorante!!!

  • mctf Responder

    Sirius
    Só as mentalidades mesquinhas é que pensam assim, os que descontam para a segurança social deveriam ter os mesmos beneficios que os Adse e outros subsistemas.Afinal para que servem os descontos?

  • Luiz Teixeira Responder

    Confesso que assisto com tristeza ao nível básico dos comentadores privados, que à falta de conhecimento engolem tudo o que lhes dizem como a verdade, quando não passam de tretas para convencer papalvos.
    ADSE – Eu desconto 11% + 1,5% solidário para o SNS (os privados); quando marco uma consulta, fica para as calendas, enquanto o SNS é logo atendido; para além de me perguntarem se é particular (SNS) ou para a ADSE, porque os preços são diferentes; Depois, exames há que os Hospitais não fazem à ADSE, mas fazem ao SNS (ex:uma colonoscopia com sedação). Pois, a ADSE é mesmo um mimo.
    Vínculo – O vínculo ou a famosa razão de impedimento de despedimento, é um privilégio funcional, não é pessoal, e serve para que o Estado possa cumprir a sua obrigação sem o risco de uns serem tratados como filhos da mãe, e os outros como filhos da outra. Exemplo mais típico: os privados gerais pagam impostos, ou são autuados pela PSP. Os privados com poder e conhecimentos também deviam pagar, mas se não existisse vínculo podiam ameaçar os funcionários públicos para o não serem.´Vocês pagavam e os outros riam-se de nós e de vocês por serem tontinhos e lhes terem feito o que eles queriam. É assim tão dificil perceber isto?
    Por outro lado, um trabalhador só pode ser despedido comm indemnização. Já os funcionários públicos podem ver os seus serviços fechar as portas sem indemnização. Qual a indemnização dada aos professores que não foram colocados? E não é isso um despedimento? Uma pergunta: porque não para para pensar em vez de seguirem a voz do dono?
    Também já trabalhei no privado e nada tenho contra o privado, mas nem nesse tempo compreendia a guerra que fazem, pois ela não serve os interesses de privados e público, mas de quem a fomenta.

  • e.n.f.i.m Responder

    “Heil Hitler!”

Deixar uma resposta