IGCP assume que 7,1% é o valor máximo do juro dos certificados do tesouro

O IGCP acabou de divulgar as taxas de juro aplicáveis aos três períodos de maturidade/resgate definidos nos certificados de tesouro e assumiu ainda que a taxa até às maturidades de 10 anos e de 5 anos não será mais revista em alta, seja qual for o comportamento da dívida pública no mercado, ou seja, manter-se na taxa máxima de 7,1% a 10 anos e de 6,8% a 5 anos (taxas brutas, antes de impostos). Interpreta-se que só possam ocorrer revisões para baixo e apenas quando e se o mercado da dívida voltar à normalidade. O IGCP explica esta alteração nesta instrução há pouco divulgada.

Já quanto à taxa de remuneração em caso de manutenção do certificados do tesouro durante pelo menos um ano houve uma revisão em alta para os 2,1%. Eis a síntese dos valores definidos para Maio de 2011:

Para as subscrições de certificados do Tesouro em Maio de 2011 a:
Taxa ilíquida dos juros distribuídos anualmente do 1.º ao 5.º ano – 2,10%;
Taxa ilíquida de juro anual garantida para uma aplicação a 5 anos – 6,80%;
Taxa ilíquida de juro anual garantida para uma aplicação a 10 anos – 7,10%.

Tagged under:

1 Comentar...

Deixe um comentário

O seu email não vai ser publicado.