Zon, Optimus Clix, Meo*: qual o mais barato?

Há quase um ano abordámos aqui alguns dos truques e dilemas envolvidos na escolha e (re)negociação de contratos com as empresas de telecomunicações, na ótica do cliente residencial foi em “Zon, Clix, MEO: menos 20% na factura; de novo em busca do melhor negócio“. Muito do que se disse então mantêm-se pertinente. Recordo aliás a forma como o autor terminou a peça citada:

 “Neste momento, parece-me claramente vantajoso ter apenas um prestador de serviços de telecomunicações. E parece-me de todo recomendável, daqui a 12 meses voltar a olhar para o mercado e procurar a melhor relação de qualidade/preço. Ser fiel a um operador, se as técnicas comerciais existentes se mantiverem, é a pior opção para o consumidor final.”

Pois um ano passou e está na altura de voltar a sondar o mercado e ter uma atitude pro-ativa, ponderando sempre a hipótese de mudar de prestador de serviços.

Se noutros mercados os prestadores de serviços já perceberam que as promoções para novos clientes justificam algum tipo de amenização para que os “velhos” clientes não se aborreçam e permaneçam fieis, pelo mercado das telecomunicações a situação ainda é distinta, particularmente SE o cliente for completamente passivo.

Se não for o cliente a perceber que com o passar do tempo ficou com um tarifário muito desfavorável, raramente será o fornecedor a ter uma atitude preventiva (para não perder o cliente) e, se acabar por tê-la, tal sucede geralmente muito depois de o facto ser evidente. O cliente só tem a ganhar em questionar, em perguntar se é menos que os outros e, claro, em se predispor a mudar de fornecedor.

Por estes dias consumou-se a fusão da marca Clix com a Optimus, muito provavelmente a oportunidade será utilizada para agitar um pouco o mercado. E que tal investigar junto de amigos e conhecidos os contratos que estes têm com os respectivos fornecedores, passar pelos tarifários anunciados e, se for caso disso, pegar no telefone em busca de um melhor negócio?

Deixamos, a terminar, uma sugestão de leitura do Diário Económico de hoje: “Os pacotes mais baratos de Internet, TV e telefone“.

* Junte-se-lhe a Cabovisão, a Vodafone, a AR Telecom.

Tagged under:

6 Comentários

  • Pingback:Economia & Finanças

  • MarcoResponder

    Comercias do MEO na Ilha da Madeira esta a ser enganados com um acordo inicial de formação em part-time, obrigando-os a trabalhar horas extraordinárias sem receber por isso, e antes de final do acordo da “treta” são expulsos inventando absurdos que os leva ao despedimento por justa causa, alem do mais são iludidos com valores exuberantes na tentativa de os estimular abordagem as pessoas na tentativa de vender o dito MEO, infelizmente esta e a realidade, que encontra os comercias do MEO, e tudo isto e ainda mais, é aprovado por responsáveis da PT na região como por exemplo o Sr. João Pinto e a Srª. Merícia representante da CRH, isto é uma vergonha!

  • Pingback:Sugestão: Blogue Anti-Crise | Economia e Finanças

  • Pingback:Como ontem poupei mais de 70€/ano com a internet móvel (Kanguru) | Economia e Finanças

  • Pingback:Anónimo

  • silvaResponder

    Pois mas, no Continente no Porto os que trabalham nos call center´s a maior parte deles não recebe salário base pelas horas que trabalham….simplesmente escandaloso!!Andam a encher os bolsos a meia dúzia de vigários.
    Por isso há sempre pedidos de pessoal para call center´s, é trabalho gratuito!

Deixe um comentário

O seu email não vai ser publicado.