PIB no 1º trimestre revisto em alta: crescimento homólogo de 1,8% (act.)

Acabou de ser divulgado o comunicado do INE sobre as Contas Nacionais Trimestrais relativas ao primeiro trimestre de 2010 indicando uma ligeira revisão em alta (uma décima) para a taxa de variação homóloga do PIB (fixou-se nos 1,8%) face à estimativa rápida recentemente divulgada (“PIB português surpreende com crescimento de 1,7% no 1º trimestre (actualizado)“). Face ao trimestre imediatamente anterior a estimativa inicial foi igualmente revista em alta, estabelecendo-se agora nos 1,1%.

Como já havia sido anunciado o incremento na Procura Interna e um reforço das exportações superior ao aumento das importações, juntamente com um trimestre de comparação (o 1º de 2009) extremamente negativo, justificam a evolução do PIB agora constatada.  Note-se que cerca de 75% do aumento da variação homóloga se deveu a um aumento da Procura Interna e apenas cerca de 25% à melhoria ao nível da Procura Externa Líquida.

Note-se ainda que o consumo familiar, em particular de bens duradouros (+15,1%) com os automóveis à cabeça, ajudam a explicar em boa parte o reforço global do Consumo Privado e consequentemente da Procura Interna. Um efeito conjuntural, justificado pelos dados do 1º trimestre de 2009 (muito baixos) e, provavelmente, por algum efeito de antecipação de compras por via da incerteza fiscal que antecedeu a aprovação do Orçamento de Estado (recordam-se as ameaças de perda de benefícios fiscais na troca de viatura, anunciadas para o Orçamento de Estado de 2010). Sublinhe-se que estes dados não incluem qualquer efeito de antecipação de compras poo via do aumento de impostos, já que estes foram anunciado já no decurso do 2º trimestre e poderão, ou não, ter algum impacto na antecipação de compras no 2º trimestre para evitar a subida do IVA.

O INE sublinha que iniciou com esta publicação uma nova série para as contas nacionais trimestrais e das contas nacionais anuais, tendo procedido a alguns ajustamentos devidamente justificados no seu comunicado.

Tagged under:

Deixar uma resposta