Blogs do Ano - Nomeado Política, Educação e Economia

Poupar? Consumir? Investir!

Agora que o futuro negro chegou com peculiaridades curiosas, o que fazer no dia a dia? Os governos querem estimular o consumo para que a economia não entre em coma, logo temos de consumir. Por outro lado, muitas famílias e empresas, perante o risco de poderem perder parte significativa do seu rendimento e perante a identificação das causas da crise (que terão passado, entre outras, por haver dinheiro muito barato durante muito tempo e consequentemente excesso de dependência do crédito) têm agora a natural reacção de refazer as suas finanças, valorizando a poupança sobre o consumo. Mas se se poupar demais podemos empurrar a economia para uma espiral recessiva pois em recessão, dinheiro guardado pode desencadear uma depressão grave.

Em que ficamos? Poupar? Ou consumir?

Talvez consumir com moderação, devendo esta ser tanto menor quanto o gasto se assemelhar mais a um investimento com retorno futuro. Ir de férias para estrangeiro ou fazer aquelas obras que anda a adiar há tanto tempo para melhorar a salubridade e o conforto da sua casa? Se estiver entre o grupo que pode ter este dilema, talvez seja melhor apostar na valorização do seu imóvel. O retorno será mas duradouro e potencialmente rentabilizável no futuro.

Se se safou por pouco ao garrote do crédito colocado no ano passado quando a Euribor roçou os 6% e tudo parecia ir subir de preço permanentemente, então o melhor é aproveitar o ano de 2009 (se não perder a sua fonte de rendimento) para reduzir as suas dívidas.

Se perder o emprego e ficar numa situação complicada… Acredite que dias melhores virão e não se envergonhe, puxe pelas suas botas, ponha os neurónios a trabalhar e, se tiver mesmo de ser, peça ajuda e reclame-a. Hoje foi você, amanhã serei eu. É para estas situações que temos segurança social e é nesta hora que temos de recordar de forma mais nítida o que significa ser solidário. Entretanto, não fará mal a ninguém se descobrir como reduzir as suas despesas fixas, como ser mais produtivo com o mesmo esforço, como fazer mais e melhor. Esse será sempre um passaporte VIP para dias melhores

Entretanto, iremos a votos. Não se iluda, ser exigente e saber escolher os nossos representantes políticos não é um luxo para quem tem a barriga cheia. É uma necessidade para quem crê que têm o direito e o dever para partilhar um futuro melhor. Informe-se, critique e procure contribuir com soluções. Todos não somos demais.

Disclaimer: sou candidato às eleições europeias pelo mais recente partido político português, o MEP (Movimento Esperança Portugal).

Rui Manuel Cerdeira Branco

Tagged under:

3 Comentários

Deixe um comentário

O seu email não vai ser publicado.