Depósitos a prazo: sugestões na imprensa

O jornal i dedica hoje algumas páginas a anlisar as melhores ofertas de aforro de baixo risco disponíveis no mercado português. Dos certificados de aforro aos depósitos a prazo. Eis um excerto da notícia “Retorno absoluto. Rendimentos acima de 3% só no longo prazo“:

“(…) O caso dos produtos de retorno absoluto do Banco Privado Português (BPP) abriu os olhos aos investidores portugueses, que perceberam que, afinal, é possível perder dinheiro em aplicações garantidas. “Este crédito estruturado [que representa um terço dos produtos de retorno absoluto] encontra-se actualmente avaliado em cerca de 10% do seu valor nominal”, indicou a actual administração do BPP, liderada por Adão da Fonseca. O pânico provocado pela crise no BPP impede agora os restantes bancos de emitirem instrumentos de aforro mais complexo, mesmo que ofereçam garantia de capital e rendimento. Há poucas novas emissões de produtos estruturados – mercado que chegou a valer 2500 milhões por ano antes de 2008.

Hoje, os maiores bancos apenas garantem rendimentos nos depósitos a prazo, nas contas de poupança e em alguns seguros de capitalização mais conservadores. Porém, como as taxas de juro estão em mínimos históricos, as promessas de ganhos são escassas. Para poder ganhar mais de 3% por ano tem de fazer uma aplicação de, pelo menos, oito anos. O i foi aos principais bancos à procura das melhores soluções garantidas. (…)”

Em breve actualizarei a lista de ligações às instituições a operara em Portugal com informação sobre os respectivos depósitos que está disponível na páginal “Taxas de Depósitos a Prazo“.

GOSTOU DO QUE LEU?
Então não perca nenhum dos nossos artigos.
Receba um EMAIL diário com os resumos:

.