Blogs do Ano - Nomeado Política, Educação e Economia

Holmes Place ataca sob anonimato nas caixas de comentários?

GInasioHá alguns minutos recebemos quatro comentários elogiosos sobre o Holmes Place (HP), cada um com uma técnica diferente (desde atacar a concorrência a promover a campanha de publicidade que tem estado por aí nos media). Até aqui nada de mal, é legítimo que haja quem concorde ou esteja satisfeito com o que se tem passado, contudo, há um problema que nos leva a este artigo. Todos os comentários, assinados como sendo do José Aguiar, Joana Costa, Pedro Teixeira e Pedro Coelho tiveram origem no mesmo computador (confirmado pelo IP), sendo que esse computador tem como servidor um tal de gw.holmesplace.pt.
Roubo na bolsa/BancaVou tentar averiguar junto dos e-mails que os “quatro” comentadores deixaram (se forem válidos) se esta se trata de uma técnica de limitação de danos sancionada pelo Holmes Place: escrever sob anonimato como se fossem utentes, ou se na realidade foram quatro pessoas distintas que por acaso têm o mesmo computador e que por acaso é servido pelo servidor do Holmes Place e que por acaso estão satisfeitíssimas com o HP e que por acaso vieram todas comentar neste mesmo sítio no espaço de 36 minutos.
Cegueira digitalTalvez o HP não tenha nada a ver com isto e seja apenas um empregado zeloso a tentar fazer valer a sua justiça. Fica a nota de aviso aos restantes leitores (que reproduzirei nas respectivas caixas de comentários) e ainda a indicação de que esta técnica não será tolerada. Daqui em diante cada IP poderá usar apenas um nickname.

Tagged under:

11 Comentários

  • AlfaceResponder

    Percebo a ideia da limitação, mas isso quer dizer que os empregados de qualquer empresa/entidade só podem falar a UMA voz. Por exemplo, no IST o IP (público) com que “saem” os pedidos de página web (vizualizações, comentários, etc) é sempre o mesmo, o que limita a utilização ML ou em qualquer outra empresa…

    O ideal seria publicar (se for possível) o “dono” do IP com o comentário e deixar as pessoas decidirem por si.

  • AlfaceResponder

    Percebo a ideia da limitação, mas isso quer dizer que os empregados de qualquer empresa/entidade só podem falar a UMA voz. Por exemplo, no IST o IP (público) com que “saem” os pedidos de página web (vizualizações, comentários, etc) é sempre o mesmo, o que limita a utilização dos 9000 alunos e 2800 funcionários docentes e não docentes. Isto acontece emtambém em qualquer outra entidade como a CML ou em qualquer outra empresa…

    O ideal seria publicar (se for possível) o “dono” do IP com o comentário e deixar as pessoas decidirem por si.

  • Rui Cerdeira BrancoResponder

    Ok, essa pode ser uma alternativa. Quando receber comentários que com o mesmo IP e nomes diferentes de utilizador reservo-me o direito de editar o comentário para incluir o servidor.
    Naturalmente que se o HP (ou qq outra instituição) investir um pouco mais nesta área poderá contornar com facilidade este tipo de controlo.

  • AlfaceResponder

    A política de transparência é sempre melhor do que a limitação. Se o HP (ou qq outra entidade, já agora) quiser tentar intervir sob qualquer forma igual ou diferente da anteriormente referida, nada como deixá-los espalhar-se “ao comprido”, identificando a situação em causa.

  • marioResponder

    parece que o sr rui.b.costa, responsável pela famosa peticao contra o holmes place vendeu-se! Encerrou a peticao, diz que chegaram a acordo mas nao fala nada sobre o resultado para os restantes socios, devem-lhe ter oferecido uma anualidade e calou-se. Nem responde aos mails.
    é lamentável.

  • Rui Cerdeira BrancoResponder

    Mário, acabei de enviar e-mail ao referido Rui Costa em busca de esclarecimentos. A situação é de facto estranha.

  • Pingback:O inoportuno encerramento da petição de pressão sobre o Holmes Place - Economia & Finanças - Todo o economista é um leigo, todo o leigo é economia

  • PatríciaResponder

    Devia haver era um artigo sobre a Escravatura Moderna, aplicada aos colaboradores do Holmes Place, havendo jogos psicológicos e obrigatoriedade para fazerem horas extras sem serem remunerados.

  • A PauloResponder

    O IVA vai subir para 23% e o Holmes Place inicia nova afronta aos clientes dizendo que vai subir a uns e baixar a outros. Tratar-se-á de uma manigância ao bom estilo dos gestores do Holmes Place? Podem alterar o valor dos contratos PVP que afirmaram quando se aprorpiaram da diferença quando o IVA baixou?

    Estão a aproveitar esta época festiva para à sucapa enviarem as notas de débito aos clientes que, no contrato como o que referiu não podem fazer mais nada senão pagar?

Deixe um comentário

O seu email não vai ser publicado.